Júri de mulher acusada de envenear a enteada de 11 anos é adiado

Julgamento seria realizado nesta segunda-feira (6), mas precisou ser remarcado devido ao plantão da equipe nas audiências de custódia.

(Foto: Reprodução)

Marcado para ser realizado nesta segunda-feira (6), o julgamento de Jaira Gonçalves de Arruda Oliveira foi remarcado para a próxima quinta-feira (9). A ré é apontada como a responsável pela morte da enteada, Mirella Poliane Chuê, de 11 anos. A criança morreu envenenada.

O reagendamento foi necessário porque a juíza da 1ª Vara Criminal de Cuiabá, Monica Catarina Perri Siqueira, foi escalada para realizar as audiências de custódia de hoje.

O Tribunal de Justiça, porém, afirma que a remarcação não causará prejuízo ao processo.

LEIA TAMBÉM

O crime

Jaira foi denunciada pela morte da enteada, ocorrida em junho de 2019. De acordo com as investigações, a madrasta teria interesse nos R$ 800 mil que seriam direcionados para Mirella em uma ação indenizatória movida na Justiça.

O processo judicial foi movido por conta da morte da mãe da criança por erro médico, durante parto em um hospital de Cuiabá.

Conforme a investigação da Polícia Judiciária Civil (PJC), o crime foi premeditado por Jaira. Diariamente, entre abril e junho daquele ano, a mulher deu pequenas doses de veneno à menina.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTRT determina suspensão da greve dos trabalhadores da Energisa
Próximo artigoPolícia indicia diretores de hospital de Cuiabá por aumento abusivo nos preços