Mauro Mendes diz que não há dinheiro para compensar reservas “a torto e a direito”

Governador diz que seleção de áreas para parques precisa passar análise criteriosa. Mato Grosso tem 17 com status

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

O governador Mauro Mendes diz que o estado não tem dinheiro para indenizar donos de terra em áreas selecionadas para reserva ambiental “a torto e a direito”. Reservas ambientais envolveriam questões delicadas não podem ser definidas no afogadilho. 

“Se você não faz um estudo direitinho para separar a área em reserva ambiental e isso pode gerar um imbróglio jurídico e paralisar todo o processo e durar anos. O estado não tem dinheiro para pagar indenização que valem muito dinheiro”, disse. 

Conforme a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Mato Grosso tem 17 áreas com status de reserva ambiental e com a intenção de projeto para a transformação em parque ambiental, mas somente quatro foram realmente efetivados até o momento. 

“Vamos de ficar um ano sem pagar falará, sem cumprir as dívidas, parar só para termos dinheiro para pagar as indenizações”, afirmou Mauro Mendes. O pagamento para fazendeiros na Serra Ricardo Franco é estimado em R$ 1 bilhão.

Leia também:

A maioria dessas áreas envolve disputas econômicas e de sustentabilidade, a exemplo da Serra Ricardo Franco em Vila Bela da Santíssima Trindade (540 km de Cuiabá). 

A polêmica sobre atribuição de status de reserva ambiental, os interesses econômicos privados e a capacidade financeira de estados de cobrir as despesas vai começar a ser debatida esta semana na Comissão de Meio Ambiente da Câmara Federal. 

A hipótese levantada pela comissão é que faltam critérios claros para a concessão de áreas como unidade de conservação.

Cânion da Jatobá, Parque Ricardo Franco – Foto: Luzia Abich/Amigos de Trilha

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConcurseiros de plantão: veja 10 dicas para ser aprovado em concurso público
Próximo artigoInvestimento promissor: mercado imobiliário tem alta de 32,9% em Várzea Grande