Justiça nega desmembramento e acusado de matar mulher será julgado com demais réus

Tiago Floriano de Paula e outros dois são acusados pelo assassinato de Jakielly Pontes da Silva, morta porque queria que ele assumisse uma paternidade

(Foto: Reprodução/CNB-MG)

A menos de uma semana do julgamento, a Justiça de Jaciara (145 km de Cuiabá) negou o pedido de desmembramento processual apresentado por Tiago Floriano de Paula. O empresário é acusado de ser o mandante do assassinato de Jakielly Pontes da Silva, de 25 anos, em setembro de 2018.

Tiago não queria assumir a paternidade de um dos filhos da vítima e segundo a acusação, por isso, contratou seus dois funcionários do lava-jato para matar a jovem.

No dia do crime, Jakielly retornava do trabalho em uma motocicleta e, ao cruzar a rodovia BR-364, foi atingida por aproximadamente cinco tiros. A moça não resistiu e morreu no local.

Os outros dois acusados são João Vitor Pereira e Gilmar Oliveira dos Anjos. Um foi o responsável por atirar contra Jakielly e o outro pilotava a moto que conduzia a dupla.

Jakielly foi morta por pedir reconhecimento de paternidade do filho (Foto: Divulgação)

Separação negada

A defesa de Tiago pediu o desmembramento do processo alegando que, em caso de julgamento em conjunto, isso poderia trazer prejuízo e risco ao acusado.

“Haja vista que impedirá que o aludido réu, na presença dos demais corréus, confesse (hipoteticamente) os fatos e questione testemunhas sobre sua participação na elucidação do caso, sem que sofra qualquer tipo de represália dos demais denunciados, consistente em ofensa à sua integridade física”, argumentou.

A Promotoria sinalizou posicionamento contrário ao julgamento em separado, assim como o juiz Ednei Ferreira dos Santos. O magistrado justificou a negativa pontuando que não há legislação que pudesse amparar essa separação.

“O pleito deve ser indeferido por ausência de previsibilidade legal, bem como em razão da insubsistência do pedido”, reforçou na decisão publicada no Diário de Justiça Eletrônico (DJE), dessa quinta-feira (4).

Além disso, frisou que o julgamento acontecerá de forma híbrida, sem contato físico entre os acusados. O júri está marcado para a próxima terça-feira (9), em Jaciara.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmpresa mato-grossense será destaque na COP 26, em Glasgow
Próximo artigoRádios clandestinas que enviavam mensagens a presos da PCE são fechadas em Cuiabá