Deputados do PSD desistem de aliança com Taques, mas querem liberação para apoiar tucano

Carlos Fávaro garantiu vaga de candidato a senador na chapa que deve ter Mauro Mendes ao governo

Foto:(Ednilson Aguiar/ O Livre)

Os deputados estaduais do PSD devem se reunir com o presidente regional do partido, Carlos Fávaro, nesta quarta-feira (1º), para discutir como será a atuação da sigla nas eleições deste ano. Com vaga de candidato ao Senado garantida na chapa de Mauro Mendes (DEM), e convenção agendada em conjunto com o DEM, a sigla não deve mais mudar de coligação. Com isso, a tese defendida pelos deputados, de apoio à reeleição do governador Pedro Taques (PSDB), foi derrotada.

“A vaga do Fávaro como senador está garantida na chapa do Mauro. Não vejo mais possibilidade de o PSD mudar de aliança. Agora temos que acatar a definição do partido e tocar a campanha”, observou o deputado Wagner Ramos.

O partido pode chegar à campanha eleitoral rachado, pois a maioria dos parlamentares insiste em apoiar a reeleição de Taques. No entanto, não devem mais fazer nenhum movimento no sentido de levar o partido oficialmente para a aliança tucana. O grupo ligado a Fávaro, que renunciou ao cargo de vice-governador em abril, conseguiu barrar o retorno do partido para a aliança governista.

O deputado Pedro Satélite levantou a possibilidade de os parlamentares serem liberados para apoiar a candidatura do governador, mesmo estando em outra coligação. Gilmar Fabris e Ondanir Bortolini “Nininho” também fazem parte do grupo que apoia o tucano. Acordo semelhante deve ser feito no MDB, que definiu por coligar com Mendes, mas tem diversos apoiadores de Wellington Fagundes (PR) em seus quadros.

Outro ponto que precisa ser alinhado é a formação da chapa proporcional. Os deputados querem um chapão para concorrer, porque, nas contas deles, isso aumenta as chances de reeleição. “Fávaro está com a candidatura garantida, mas a gente não. Temos que discutir como ficará a chapa”, destacou Satélite.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMoradores se revoltam com morte de traficante, apedrejam policiais e destroem ambulância
Próximo artigoSine fechado: Servidores citam “contenção de despesas”, mas governo alega reforma