|domingo, 23 setembro 2018
Carlos Fávaro e Pedro Taques: relação de desconfiança (Foto: Ednilson Aguiar/ O livre)

Temendo manobra de Taques, Carlos Fávaro renuncia ao cargo de vice-governador

Fávaro pode ficar impedido de se candidatar ao Senado caso o governador se afaste do cargo antes das eleições

333
COMPARTILHECOMPARTILHE

O vice-governador de Mato Grosso Carlos Fávaro (PSD) decidiu renunciar ao cargo na manhã desta quinta-feira (5). Pré-candidato ao Senado, Fávaro teme que o governador Pedro Taques (PSDB) possa “manobrar” para torná-lo inelegível.

A relação entre governador e vice, que já não andava boa, piorou nos últimos dias, quando deputados da base do governo e até do PSD, partido do qual Carlos Fávaro é presidente estadual, optaram por ficar ao lado de Pedro Taques e sinalizaram que poderiam “fritar” o vice.

Fávaro pode ficar impedido de se candidatar ao Senado caso o governador se afaste do cargo no período de seis meses antes das eleições. Em Mato Grosso, a transmissão do cargo é automática, ou seja, o vice assume tão logo o titular saia do país, por exemplo. Nesse caso, quem assume fica impedido, pela lei eleitoral, de disputar qualquer outro cargo que não seja o de governador.

Fávaro tentou emplacar na Assembleia um projeto de lei que acaba com a transmissão automática do governo, mas o líder do governo e ex-PSD, Leonardo Albuquerque (SD), fez alterações no texto que jogam por terra as intenções de Fávaro. Sem confiança de que o governador não vá manobrar para deixá-lo inelegível, Fávaro preferiu renunciar.

Grande produtor rural de Mato Grosso, no plano nacional Carlos Fávaro é aliado do presidente do PSD, Gilberto Kassab. Já Pedro Taques enfrenta resistência até dentro do próprio PSDB para se lançar à reeleição.

Legislação
Ontem (04) o LIVRE publicou uma reportagem sobre a tentativa de se mudar a legislação sobre a sucessão “automática” de governador em Mato Grosso.

O projeto de lei nº 93/2018, que tramita na Assembleia Legislativa, regulamenta a substituição do governador em caso de impedimento de exercer o cargo. O principal objetivo do projeto é evitar a transmissão automática do governo ao vice-governador ou ao presidente da Assembleia Legislativa, o que seria um entrave às candidaturas deles nas eleições deste ano. O texto chegou à Assembleia no dia 21 de março.

De acordo com a legislação eleitoral, a pessoa que assume o cargo de governador no período de seis meses antes das eleições fica impedida de se candidatar a outros cargos no pleito daquele ano. Desse modo, se o vice Carlos Fávaro (PSD) assumisse o Palácio Paiaguás no lugar de Pedro Taques (PSDB), mesmo que fosse por apenas um dia, teria que abandonar o projeto de disputar uma cadeira de senador este ano. Na mesma situação, o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (DEM), teria que desistir da reeleição para deputado estadual.

A justificativa do projeto, de autoria de lideranças partidárias, é a necessidade de “promover um rito mínimo, de modo a manter a ordem constitucional” em caso de impedimento do governador. O texto estabelece que o rito de transmissão do cargo deve ser feito pelo governador ao substituto. Se o governador não fizer a transmissão, o substituto deve assumir o cargo perante o plenário da Assembleia Legislativa, ou no gabinete da presidência, se não houver sessão naquela data.

O texto prevê que sejam chamados para exercer o cargo o vice-governador, o presidente da Assembleia e o presidente do Tribunal de Justiça, nesta sequência, respeitando a linha sucessória, e também mantém na figura do governador a representação do Estado quando ele viajar, permitindo que assine convênios ou contratos.

Segundo o projeto, que os casos de impedimento do governador são férias anuais de até 30 dias, enfermidade que o inabilite para exercer a função, ausência do território do Estado por mais de 24 horas e licença. Em caso de viagem, o governador (ou quem estiver em exercício) deve avisar da ausência com 48 horas de antecedência.

O impedimento acaba quando o governador retorna ao cargo. Em caso de doença, o fim do impedimento deve ser declarado pelo Tribunal de Justiça.

COMENTÁRIOS

  1. […] Apesar da renúncia, Fávaro negou estremecimento na relação com Taques. “A renúncia é para que eu possa construir minha candidatura ao Senado. Não é justo fazer isso usando a estrutura da vice-governadoria, usando dinheiro público”, afirmou em entrevista coletiva. Ele negou que a decisão esteja relacionada à transmissão automática do cargo. “Isso são coisas menores”, disse. […]

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Final da Série C: falta de luz, defesas incríveis e público recorde marcam vitória do Operário
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Duplicação de rodovia que inclui trincheira e viadutos no Distrito Industrial custou R$ 1 bilhão
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Gravação mostra pouso de emergência de avião de Nilson Leitão; veja vídeo
TCE realiza levantamento para ajudar prefeituras a aumentar arrecadação com IPTU
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Pecuaristas aderem a projeto sustentável e reforçam a importância da união da cadeia produtiva
Fiscais do Indea se preparam para atuar no vazio sanitário do algodoeiro
Safra recorde: produção de café em Mato Grosso é a maior da história
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
“Dobradinha” Diego & Arnaldo e Israel Novaes lotam Musiva. Veja Fotos
Doceira investe em sobremesas tradicionais como pudim, pavê e bolinho de chuva
Produção cuiabana vence “melhor dos melhores” em premiação na Índia
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Ciro Gomes relaciona porte de fuzil com tamanho de pênis dos jovens
Bolsonaro recebe alta de UTI semi-intensiva em hospital de São Paulo
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Sine oferece quase 50 vagas de emprego nesta semana; 22 são para PCDs
Última semana para inscrição em concursos com salários de até R$ 7 mil; veja vagas
McDonald’s oferece 20 oportunidades de trabalho em Cuiabá
X