Moradores se revoltam com morte de traficante, apedrejam policiais e destroem ambulância

Uma noite de terror. Foi assim que um morador do bairro Novo Colorado, em Cuiabá, definiu os momentos que sucederam a morte do traficante Flávio de Castro Lima, 31 anos, conhecido como “Sapinho” na noite desta quarta-feira (01).

O criminoso morreu durante uma troca de tiros com a Polícia. Ele teria sido atingido por dois tiros. Revoltados, populares partiram para cima dos militares com pedras. Os PMs chegaram a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para socorrer o criminoso, mas a ambulância também virou alvo, foi parcialmente destruída e teve os vidros quebrados.

Policiais que permaneceram no local aguardando a chegada da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), também foram apedrejados.

Segundo informações preliminares, apesar da longa ficha criminal com oito assassinatos – sendo o primeiro deles com apenas 17 anos – “Sapinho” era considerado uma “liderança” na região e chegou a receber o apelido de “Justiceiro”, por supostamente evitar que outros criminosos cometessem roubos e furtos no bairro. O criminoso também tinha passagens por tráfico de drogas.

O corpo do traficante foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) por volta das 23 horas. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Crédito: Sérgio Alliend/Site Lapada

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

4 COMENTÁRIOS

  1. Esses favelados são uma cambada de vagabundo tbm ficam defendendo o bandido porque se beneficiam dos crimes do mesmo,
    É difícil pra polícia além de combater o crime ainda ter que enfrentar uma cambada de vagabundos que defendem o bandido como se fosse um boa pessoa

  2. Quem defendeu a morte desse criminoso nc serteza não são aqueles q saem 5 HS da manhã e p trabalho e deixa sua família em casa essas pessoas não terei tempo p isso ,mais foram pessoas da sua índole nandida

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia investiga no Rio sumiço de medalha de “Nobel de matemática”
Próximo artigoDeputados do PSD desistem de aliança com Taques, mas querem liberação para apoiar tucano