Delação de Alan Malouf: tudo sobre a denúncia explosiva na reta final do Governo Taques

Confira a cobertura completa do LIVRE sobre esquema que teria alimentado caixa dois da campanha de Pedro Taques

Sete meses depois da Operação Rêmora, ao ver o cerco se fechar, o empresário Alan Ayoub Malouf procurou o Ministério Público Estadual (MPE) oferecendo um acordo de delação premiada. À época, em dezembro de 2016, ele não teve sucesso. Foi preso na semana seguinte e passou 10 dias na cadeia, acusado de liderar um esquema para desviar recursos de obras de escolas estaduais em Mato Grosso.

As negociações se estenderam por mais de um ano, até a colaboração ser homologada, em abril de 2018. O sigilo da delação foi retirado em 19 de outubro e revelou, ao longo de 20 anexos, diversos esquemas que teriam alimentado caixa dois na campanha de Pedro Taques (PSDB) em 2014.

No início, a Operação Rêmora desmantelou um esquema de fraudes em licitações de obras de escolas em Mato Grosso, montado na gestão de Permínio Pinto (PSDB) como secretário de Estado de Educação (Seduc), no primeiro ano do governo Taques. A delação de Malouf foi além e trouxe conexões com a Operação Sodoma, que investiga diversas fraudes ocorridas na gestão anterior, do ex-governador Silval Barbosa (ex-MDB).

Confira a cobertura completa:

STF retira sigilo de delação de Alan Malouf sobre fraudes na Seduc para montar caixa dois de Taques

Delação de Alan Malouf: empresário vai pagar R$ 5,5 milhões, em 10 vezes, por acordo

Empresário envolve governador de MT em esquemas de corrupção e Caixa 2

Capítulos da suposta trama criminosa trazem encontros em construtora, buffet, churrasqueiras e sacadas

Mesmo com ajuda de Nadaf, Alan Malouf diz que nunca recebeu os R$ 650 mil pela festa da posse de Taques

Pedro Taques e Silval conversaram sozinhos em churrasqueira, diz Malouf

Marqueteiros de Taques teriam recebido R$ 2 milhões de Caixa 2

Brustolin e Modesto exigiram quase R$ 2 milhões para assumir secretarias

Taques teria recebido R$ 3 mi para não tirar incentivos da cervejaria Petrópolis

Em delação, Alan Malouf acusa Galindo de pedir R$ 3 milhões para blindá-lo junto a Selma e Gaeco

Gráfica teria recebido R$ 2 milhões de Caixa 2 para fazer campanha de Taques

Empresários simpatizantes de Taques pagaram R$ 7 milhões de Caixa 2

Alan Malouf relata encontro suspeito com Brustolin, que estaria querendo “entregar” Taques

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCandidatas trans se elegem para mandatos individual e coletivo no Brasil
Próximo artigoRosa Weber contesta questionamentos sobre segurança das urnas

O LIVRE ADS