Saída do Jecrim: “tenho certeza que a semente está lá”, diz Mário Kono

Empossado desembargador, Mário Kono deixou o Juizado Especial após 20 anos de atuação

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

No Poder Judiciário de Mato Grosso há 27 anos,  o hoje desembargador Mário Roberto Kono de Oliveira passou 20 deles como juiz no Juizado Especial Criminal. Na unidade que trata de crimes de baixo potencial ofensivo, ele foi pioneiro na implantação de projetos de grande relevância para o poder público. Ao vestir a toga de desembargador, Mário Kono disse já sentir saudades antecipadas do antigo “lar”.

“É um misto de saudades antecipadas já com esse tempo vivido, com a esperança de que outras pessoas venham justamente trazendo novas ideias e possam aprimorar o que já foi feito”, disse o magistrado, em entrevista durante sua cerimônia de posse, na tarde da última segunda-feira (1º).

Mário Kono foi eleito desembargador em sessão extraordinária na semana passada, para preenchimento da vaga deixada pela aposentadoria da desembargadora Cleuci Terezinha Chagas. No Jecrim, ainda não sabe quem será seu sucessor.

Contudo, ao ser questionado pelo LIVRE sobre qual seria o futuro do Juizado sem a figura do magistrado carismático e tranquilo que é, Mário Kono respondeu:

[featured_paragraph]“A semente está lá. Eu tenho certeza que a semente está lá. Que cheguem os novos cultivadores, para que essa semente possa se desenvolver cada vez mais”.[/featured_paragraph]

LEIA TAMBÉM

Mário Kono: “a prisão é necessária, mas não acho que ela limita o crime”

Exceção à regra: há vida depois do vício das drogas

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputados adiam votação da LDO para incluir possível aumento de impostos
Próximo artigoTMA promove seminário para discutir o fomento do agronegócio em Cuiabá