“Restodontê”? Listamos dicas para você guardar a ceia de fim de ano sem riscos

Para garantir que a ceia que virou almoço de Natal não leve ninguém para o hospital, é preciso alguns cuidados

(Foto: Freepik)

Um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Embrapa e o programa Sem Desperdício da União Europeia, revelou que cada brasileiro joga fora, em média, 42 quilos de comida por ano. E se tem um período em que esse desperdício ganha ainda mais potencial, esse período é o de festas de fim de ano.

Mas para garantir que a ceia que virou almoço de Natal não leve ninguém para o hospital, alguns cuidados são necessários. Por isso, o LIVRE e a diretora de Comércio Exterior e Marketing da Alpfilm, Alessandra Zambaldi, dão algumas dicas.

1. Prefira recipientes pequenos

Alimentos assados, cozidos e fritos podem ser congelados. Mas o ideal é refrigerar essas sobras em pequenas porções individuais. A escolha do recipiente correto faz toda diferença.

Alessandra afirma que o mais indicado é utilizar sacos plásticos herméticos, que impedem a entrada e dos quais você pode retirar quase todo o ar. Assim, se previne a contaminação por fungos e bactérias.

2. Não, não precisa esperar esfriar

E apesar do que muitas pessoas acreditam, segundo Alessandra, não é necessário esperar que o alimento esfrie para inseri-lo no congelador.

“Esperar a comida esfriar para congelá-la pode reduzir o tempo de consumo e isso acontece porque, quando em temperatura ambiente, o alimento fica mais exposto à contaminação por fungos e bactérias. Por isso, o ideal é não aguardar mais que duas horas para levar o prato ao freezer“.

3. Nada de recongelar a comida

Recongelar o alimento também não é indicado. Sempre que entra em contato com o ar em temperatura ambiente, o nível de proliferação de micro-organismos na comida aumenta. Desse modo, quando recongelada, ela terá uma carga microbiana muito maior.

Por isso, uma dica da diretora da Alpfilm é usar etiquetas nas embalagens. Assim, você o que tem dentro do pote sem precisar abri-lo. De quebra, ainda pode anotar o prazo de validade dele.

LEIA TAMBÉM

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComo a covid-19 pode afetar a gestação?
Próximo artigoVocê usa protetor solar? MT tem umas maiores incidências de câncer de pele do país