Pandemia: Governo de MT deve implantar medidas restritivas por cidades

Governador Mauro Mendes disse que metodologia usada no decreto em vigor foi revisada com base em dados recentes da pandemia

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

As medidas restritivas para o funcionamento do comércio e outras atividades econômicas devem ser revisadas pelo governo de Mato Grosso, que passará a aplicar regras diferentes  de acordo com a situação de contágio pela covid-19 em cada cidade. 

A modificação foi anunciada nessa quarta-feira (10), durante a divulgação do “plano de guerra” para contenção dos casos graves. Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), a metodologia usada no Decreto nº 836/2021 foi revisada pelas equipes de vigilância sanitária e epidemiológica. 

O critério que será seguido levará em conta as medidas que estavam em vigor nos meses de setembro e outubro do ano passado, quando a curva do contágio em Mato Grosso achatou. 

LEIA TAMBÉM

“Nós temos outra metodologia, revisada, que está saindo em novo decreto. Nós dividimos essa metodologia agora, com dados mais recentes, saindo daquela curva mais atenuada, nos meses de setembro a dezembro, e o decreto está sendo publicado”, disse o governador Mauro Mendes. 

Avaliação em boletim

Conforme o governo, os decretos baixados – em caráter orientativo ou impositivo – levam em conta a taxa de contaminação em cada cidade, a disponibilidade de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e o número de habitantes. 

O último boletim atualizado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), de segunda-feira (8), indica que 13 municípios têm alto risco de contágio e 33 estão com risco moderado. Outros 95 não aparecem com tendência de maior exposição ao novo coronavírus. 

Contudo, o governo afirmou que a eventual decisão sobre novas medidas vai depender do resultado a ser colhido após o decreto que está em vigor há nove dias.

Mendes já antecipou, entretanto, que um novo lockdown foi classificado como medida extrema. 

Ao modo de São Paulo 

O governador Mauro Mendes descartou a adoção de um modelo de restrições por região, semelhante ao implantado em São Paulo. A sugestão foi feita pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que avalia como inflexível o decreto de Mato Grosso. 

“Se nós seguíssemos o modelo de São Paulo, Cuiabá estaria hoje em lockdown. É isso que ele quer?”, disse o governador. 

As medidas do Estado de São Paulo também seguem a classificação por cores, com a diferença de vigorar várias fases ao mesmo tempo. O governo adotou cinco cores, de vermelho (a mais restritiva) ao azul (a mais flexível). 

O funcionamento do comércio – bares, restaurantes, shopping centers, etc. – são autorizados ou suspensos conforme a passagem de uma cor para outra. São elas que indicam o risco de contaminação.  

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAjuda para custear tratamento de Barranco
Próximo artigoJustiça de Mato Grosso arquiva ação de improbidade contra Válter Albano