Grampolândia: Gerson ganha perdão, coronéis são absolvidos e Zaqueu é condenado

Militares foram envolvidos no esquema que interceptou ilegalmente telefones de juízes, políticos, advogados e jornalistas

(Foto: Suellen Pessetto/O Livre)

Depois de dois dias, terminou na noite desta quinta-feira (7) o julgamento de militares acusados de envolvimento no caso conhecido como Grampolândia Pantaneira.

O juiz da 11ª Vara Militar, Marcos Faleiros, em conjunto com quatro coronéis da reserva que formaram o Conselho Militar, condenou o coronel Zaqueu Barbosa ao regime semiaberto, por oito anos.

Zaqueu foi sentenciado por agir sem comando, falsificação de documento público e falsidade ideológica (art. 169, 311 e 312 do Código Penal Militar), com continuidade delitiva. O juízo também pediu que ele perca a patente de coronel. O caso vai ser analisado pelo Tribunal de Justiça e cabe recurso.

Já os coronéis Evandro Lesco e Ronelson Jorge de Barros e o tenente-coronel Januário Batista foram absolvidos. O primeiro, pela maioria dos votos, enquanto os outros dois foram por unanimidade.

O cabo Gerson Luiz Ferreira Correa Junior, que passou por três interrogatórios na Justiça, teve o perdão judicial concedido.

Os cinco militares respondiam por ação militar ilícita, falsificação de documentos, falsidade ideológica e prevaricação.

Depois de mais de 16 horas de julgamento, com réplicas e tréplicas de acusação e defesas, a sentença foi enfim proferida.

Delação

Pelas informações levadas à Justiça, o juiz Marcos Faleiros concedeu o benefício de delação unilateral aos coronéis Zaqueu Barbosa, Evandro Lesco e ao cabo Gerson.

Sobre a possibilidade de aplicar os benefícios de colaboração unilateral aos militares, requerida pelas defesas, o juiz considerou válido.

“O réu Gerson foi o primeiro a colaborar com a Justiça”, destacou Faleiros. “Verifica-se que o acusado Gerson faz jus ao benefício de perdão judicial”, completou.

O juiz considerou que o coronel Zaqueu também mereceu os benefícios da delação premiada. Contudo, ele teve apenas a redução da pena, já que ele era o comandante da tropa e não revelou tudo o que sabia.

Leia também

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRivenditori Cuiabá realiza 1º Brasa Turbo, encontro de carros de luxo com parrillada
Próximo artigoEnem: o que esperar do segundo dia de provas?

O LIVRE ADS