Servidores estaduais prometem protestar contra lei que altera previdência

Fórum Sindical já convocou servidores para reunião de emergência: “situação está péssima”, afirmou Oscarlino

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Os servidores públicos de Mato Grosso podem repetir, nas próximas semanas, as ações de protesto que tomaram conta da Assembleia Legislativa em janeiro deste ano.

O objetivo é adiar votação do Projeto de Lei Complementar (PLC) da previdência, que deve chegar no parlamento nesta semana.

A convocação foi feita pelo representante do Fórum Sindical Oscarlino Alves, na tarde dessa segunda-feira (9), depois que deixou a reunião do Conselho do MT Prev.

Para o sindicalista, a proposta de mudança na aposentadoria dos servidores “traz grandes prejuízos à população”.

O texto aprovado por maioria do Conselho propõe aumento de 3% da contribuição dos servidores para a aposentadoria. O valor, que passa de 11% do salário para 14%, foi previsto na reforma do Governo Federal.

O Estado decidiu taxar também as aposentadorias acima de um salário mínimo, inclusive de quem já está na inatividade. A regra que vigora atualmente exige contribuição apenas daqueles que recebem acima do teto do INSS, de R$ 5,8 mil.

Outro ponto destacado pelo Fórum Sindical foi a redução dos valores destinados a áreas como Educação, Saúde e Segurança.

Segundo Oscarlino, o Governo deveria suprir os custos da aposentadoria dos demais Poderes, reduzindo os repasses.

Seriam necessários ao menos R$ 148 milhões para os Poderes começarem a contribuir com o mínimo exigido em lei para a previdência dos servidores (14%).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComo ter filhos ricos? Consultora dá cinco dicas infalíveis
Próximo artigoMarido não aceita separação e tenta matar a ex atropelada

O LIVRE ADS