Prefeito Emanuel Pinheiro diz que irá recorrer de medidas judiciais

Gestor municipal é acusado de contratar mais de 250 pessoas por interesse político

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que irá recorrer da decisão judicial que determinou seu afastamento da Prefeitura da Capital, o sequestro de valores dele e da primeira-dama Márcia Pinheiro e também a prisão temporária do chefe de gabinete Antônio Monreal Neto.

Em nota divulgada nesta manhã de terça-feira (19), o gestor alega que não houve desvio de valores e argumenta que a contratação de 259 servidores para a área da saúde em 2018 se deu por meio de concurso público.

Emanuel ainda definiu como desproporcionais e midiáticas as medidas judiciais.

LEIA TAMBÉM

Confira a íntegra da nota.

Sobre a apuração do Ministério Público Estadual, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, esclarece:

– Ao contrário do que vem sendo maldosamente propagado, a instauração de inquérito em questão pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco), do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE), não aponta desvio de valores. A investigação averigua denúncia de contratação excepcional de 259 (duzentos e cinquenta e nove)  servidores para Saúde no ano de 2018 em detrimento de realização de concurso público; 

 – Na manhã desta terça-feira (19), equipes do MPE encontram-se cumprindo mandado de busca e apreensão nas salas do chefe de gabinete do Prefeito e da secretária-adjunta de Governo. 

– O expediente no Palácio Alencastro transcorre normalmente, excetuando-se nos dois locais em que as equipes do MPE concentram os trabalhos; 

– Por considerar desproporcionais e midiáticas, o prefeito Emanuel Pinheiro informa que irá recorrer das medidas desferidas pelo poder judiciário.

– Reitera que está à disposição das autoridades para esclarecimentos dos fatos.

(Com informações da assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDelação de Huark Douglas levou à ação que afastou Emanuel Pinheiro
Próximo artigoVacina contra a covid: ex-secretário de Juína terá que pagar R$ 18 mil por promover fura-fila