Passou para a UFMT, mas não terminou o ensino médio devido a greve? Saiba o que fazer

Alunos que não terminaram o ensino médio ganharam um edital próprio; fique atento

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um edital complementar da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) direciona os alunos de ensino médio que ainda não terminaram o ano letivo de 2019, devido à greve dos professores no ano passado, ao ingresso no ensino superior.

A medida é necessária porque, entre os documentos exigidos para a matrícula dos futuros universitários, estão o diploma de conclusão do ensino médio e o histórico escolar.

A greve atingiu alunos da rede estadual de ensino em Mato Grosso e foi considerada a maior da Educação nos últimos anos. As aulas vêm sendo repostas, mas os estudantes não têm os documentos exigidos porque o ano letivo ainda não foi concluído.

Nem todas as escolas estaduais aderiram à greve de 2019, mas muitos estudantes ainda estão repondo aulas (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Assim, os que foram aprovados pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2020 têm direito a reserva de vagas nos cursos que escolheram.

Para isso, os estudantes devem apresentar, até o dia 4 de fevereiro, um atestado de matrícula e um histórico escolar parcial, emitidos e assinados pela escola em que ainda estudam.

No atestado, a escola deve informar que o aluno é concluinte do ensino médio, do ano letivo de 2019. Ainda, deve esclarecer qual é a data prevista em calendário acadêmico para a conclusão das aulas.

Segundo o edital, além desses documentos, os estudantes ainda devem enviar:

  • um documento oficial de identidade;
  • o CPF;
  • um comprovante de residência;
  • título de eleitor e comprovante de votação na última eleição (para maiores de 18 anos);
  • certificado de reservista ou alistamento militar (para homens, com mais de 18 anos).

Estudantes que optaram pelas ações afirmativas (cotas) também precisam apresentar os documentos comprobatórios referentes à modalidade escolhida.

LEIA TAMBÉM

Cabe destacar que, neste ano, a UFMT alterou a forma de inscrição na universidade. A partir de agora, os estudantes devem enviar a documentação online, por meio do sistema de ingresso (acesse aqui).

Conforme a pró-reitora de Ensino e Graduação da UFMT, Lisiane Pereira de Jesus, a medida foi adotada para dar mais comodidade aos estudantes que não moram nas cidades onde pretendem estudar.

Pró-reitora de Ensino e Graduação da UFMT, professora Lisiane Pereira de Jesus (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Depois da conclusão do ensino médio, os estudantes matriculados têm entre o dia 3 e 17 de abril para substituir os documentos provisórios. Isso deve ser feito pessoalmente, no setor de Registro Escolar.

Se os documentos não forem alterados ou se o estudante, por alguma razão, não se formar no ensino médio, ele perde a vaga na universidade.

Acesse o edital complementar para estudantes da rede pública. O documento foi assinado pela reitora Myrian Serra no dia 28 de janeiro.

Já o edital regular, para os demais futuros universitários, está disponível aqui.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPropaganda eleitoral é definida
Próximo artigoNovo documentário dos Beatles promete quebrar mitos sobre a fase final da banda