MP de MT vai gastar R$ 2,2 milhões com Iphones Pro e Samsung Galaxy de última geração

Órgão exige no edital aparelhos Iphone 11 Pro Max com câmera tripla, memória acima de 100 giga e cores específicas

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) vai gastar R$ 2,2 milhões com a compra de 400 smartphones, do tipo Iphone e Samsung Galaxy de última geração.

O pregão de registro de preços foi homologado no dia 18 de novembro, com três empresas como vencedoras. 

No edital de licitação, o Ministério Público faz exigências específicas, como câmera tripla, memória interna acima de 100 giga, processador com mínimo de oito núcleos, e o tamanho da tela em alta definição (HD). 

Com 201 Iphone 11 Pro Max deverão ser gastos R$ 1,6 milhão, ao custo individual de R$ 8,3 mil por aparelho. Os aparelhos serão fornecidos pela empresa Electromarcas Comércio e Importação de Eletrônicos. Também são exigidos aparelhos nas cores dourado, preto e branco.

Também já foi registrada a compra de 64 aparelhos Galaxy Note 20 Ultra 5G, da Samsung, ao custo total de R$ 405 mil. Cada aparelho custará R$ 6,3 mil. A empresa vencedora desse lote é a Microsens S/A. 

Outros R$ 46,8 mil serão gastos na compra de 15 Galaxy S10, também da Samsung. Cada aparelho saiu por R$ 3,1 mil, preço negociado com a Via Comércio e Representação de Informática Eirelli. 

Também está prevista a compra de 120 aparelhos Galaxy A01, ao custo individual de R$ 808. A compra total, que deve ser fornecida pela empresa Microsens S/A, ficará em R$ 96,9 mil. 

A modalidade de aquisição negociada pelo Ministério Público não obriga a aquisição dos aparelhos em uma única vez. Eles deverão ser entregues ao longo do tempo de vigência do contrato.  

O tempo de garantia dos aparelhos exigido pelo órgão é de um mínimo de 12 meses. 

O que diz o Ministério Público?

Em nota, o Ministério Público informou que irá comprar os smartphones para melhorar o trabalho virtual de promotores e procuradores. Os aparelhos seriam para substituir computadores desktop e notebooks hoje utilizados e cujos contratos já estão se encerrando. 

E por causa do “avanço do trabalho remoto” do órgão, faz-se necessário atualizar os equipamentos de seus membros. 

Leia nota na íntegra: 

Com relação à aquisição de aparelhos celulares para uso funcional dos seus membros (Promotores e Procuradores de Justiça), o Ministério Público de Mato Grosso esclarece que: 

– como os notebooks que estão em uso funcional pelos membros do MP perderam a garantia, já que os contratos firmados anos atrás para sua aquisição se exauriram, bem como aqueles para fornecimento de novos desktops (computadores de mesa) já se findaram, impôs-se a necessidade de novas aquisições para substitui-los. 

– A Administração da instituição então solicitou ao Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) e ao Centro de Apoio Operacional – Conhecimento, Segurança e Informação (CAOP/CSI) a realização de estudos para identificar qual seria a melhor solução tecnológica para substituir os referidos equipamentos. Os estudos apontaram que a melhor alternativa seria a troca por aparelhos celulares de tecnologia de ponta, por diversas razões. 

– O trabalho remoto tem avançado cada vez mais nos órgãos e instituições do sistema de Justiça, incluindo o Ministério Público, exigindo dos promotores agilidade e versatilidade em sua atuação institucional, realizando despachos e outros procedimentos fora dos seus locais de trabalho. É cada vez maior, por exemplo, o número de audiências judiciais e extrajudiciais realizadas de forma virtual, fenômeno que se intensificou ainda mais com a pandemia da Covid-19. 

– Do ponto de vista técnico, as avaliações do DTI/CAOP/CSI apontaram que os celulares, que têm preços similares aos de computadores de mesa e notebooks, além de disporem de ferramentas mais modernas e maior memória, proporcionam mais segurança, reduzindo a possibilidade de ataques cibernéticos aos sistemas do Ministério Público. 

– Com relação ao processo de aquisição, optou-se pelo registro de preços, o que permite a compra dos equipamentos em lotes, de acordo com a demanda que for se apresentando ao longo da vigência do contrato. Foi feita licitação, seguindo o regramento vigente para aquisições pelo poder público. 

Entre os membros que receberão os aparelhos, estão os Promotores de Justiça Substitutos recém aprovados em concurso público e que tomarão posse em 2021. 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

15 COMENTÁRIOS

  1. Queria ver se algum órgão do poder Executivo fizesse a mesma licitação. Se o Ministério Público veria como tranquila a aquisição desses tipos de aparelhos e nesses valores. Pau que bate em Chico não bate em Francisco.

  2. Ridiculo! iPhone de R$ 8.000!?!

    Com o dinheiro dos outros é mole fazer farra!

    Trabalho no mercado financeiro, estou o dia inteiro com aplicativos de finanças abertos, whatsapp, navegador, outlook, zoom, teams e meu celular não custa nem R$ 2.000!

    Um S10 de R$ 2000 seria MUITO mais do que suficiente!

    E no mais, eles ganham uma fortuna de salário, se querem iPhone, que comprem com seus salários!

    Não tem vergonha na cara essa gente!

  3. E assim caminha a humanidade. Eleição para chefia, gastos com Iphones, compra de armas para Promotor…..
    Esse pessoal tem as maiores regalias do Estado de Mato Grosso, quer um exemplo: Cidadão comum quando sai de férias recebe salário e mais um acréscimo de 1/3 do salário; Promotor de Mato Grosso quando sai de férias recebe o salário (que já é muito alto) e mais 100%, ou seja recebe dois salários para sair de férias.
    E ainda tem 60 dias de férias por anos, assim, recebe por ano 4 salários a mais para sair de férias!!!!

  4. Fique estes procuradores sabendo que estes dispositivos são patrimônio do estado, tem que serem configurados somente para aceitação de aplicativos do ministério público, nada de redes sociais, joguinhos, etc.

  5. teria que ter um deputado estadual atuante para fiscalizar o ministerio publico estadual, de forma nao propositiva mais de realmente combater esses tipos de atos, teria que ser uma pessoa verdadeira, isenta que nao tem papas na lingua e que nao tem rabo preso, um deputado independente pode ate ser arrogante mais que fiscaliza de verdade.

  6. INFELIZMENTE ISSO É TUDO CULPA DOS NOSSOS POLÍTICOS.
    DEVERIAM FAZER DA SEGUINTE FORMA JÁ QUE ESSA CORJA NÃO SÃO ELEITA PELO POVO:
    FIZESSEM UMA VOTAÇÃO COM O POVO, SE NÓS FOSSEMOS FAVORAVEIS A COMPRA, ENTÃO ELES PODERIAM IR A FORRA!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHelicóptero do Ibama cai em MT e coronel dos Bombeiros do Pará morre em acidente
Próximo artigoGilberto é internado em UTI