Desembargadora nega pedido de Emanuel Pinheiro para voltar ao cargo

É a segunda derrota do prefeito de Cuiabá em desdobramento de processos sobre crimes na Secretaria de Saúde

A Justiça de Mato Grosso negou novo recurso do prefeito afastado Emanuel Pinheiro (MDB) para voltar ao cargo. A decisão, divulgada na tarde desta sexta-feira (5), é referente ao afastamento de 90 dias determinado pelo juiz da Vara de Ação Civil Pública e Popular, Bruno D’Oliveira Marques. 

O recurso foi avaliado pela desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, presidente interina do Tribunal de Justiça. Segundo ela, o recurso da defesa de suspensão liminar “não tem requisitos” que demonstrem falta de “risco de improbidade administrativa e graves lesões” aos cofres públicos, crimes apontados pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE). 

É a segunda derrota de Emanuel Pinheiro nos processos originados da Operação Capistrum. Na quinta-feira (25), desembargador Luiz Ferreira da Silva já havia indeferido um recurso da defesa. 

Esse afastamento faz parte das autorizações dadas ao Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) para cumprimento de mandados na Capistrum. Conforme o advogado de Emanuel Pinheiro, Francisco Faiad, o afastamento nesse caso não tem dada pré-determinada.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTios são presos após levarem bebê com traumatismo craniano e suspeita de morte encefálica para o hospital
Próximo artigoAvião de Marília Mendonça cai no interior de MG