Defensoria quer que padre de MT pague R$ 100 mil e se cale sobre sexo e crianças

Uma ação civil pública foi protocolada contra o padre que acusou menina de 10 anos de ser responsável pelos estupros que sofreu

Imagem ilustrativa (Foto: Reprodução)

A Defensoria Pública de Mato Grosso protocolou ação civil pública contra o padre de Carlinda (760 km de Cuiabá), Ramiro José Perotto. O motivo foram as declarações dele contra a criança de 10 anos que engravidou após sucessivos abusos sexuais por parte do tio.

Na ação, a Defensoria também pede que ele seja responsabilizado por generalizar a acusação de que crianças e adolescentes se insinuam sexualmente para adultos, seja pelo comportamento por pelas roupas que usam.

Os autores da ação são os defensores públicos Letícia Gibbon e Moacir Gonçalves Neto.

Eles pedem que a Justiça condene Perotto a pagar o valor de R$ 100 mil por dano moral coletivo e a se calar sobre o tema sexo, criança e adolescente, ou seja, ele ficaria impedido de tocar nesse assuntos em entrevistas em rádios, televisões ou mesmo em publicações em rede sociais e até discursos em cerimônias religiosas.

Caso o padre seja condenado, o valor da multa deve ser destinado ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

A Defensoria quer ainda que o padre se retrate das declarações, que a Mitra Diocesana de Sinop emita uma nota de repúdio contra o que ele falou e que a Igreja e o religioso paguem pelas custas do processo.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTrabalhador perde dedos das mãos em acidente com máquina de limpar algodão
Próximo artigoJá fez seu testamento? Especialista diz que planejar pode evitar problemas para quem fica