Um “emaranhado”: Mendes nega prazo para decidir sobre VLT

Mauro Mendes afirmou que busca solução rápida para a polêmica, mas isso depende de processos em andamento na Justiça

Caminho aberto para a instalação dos trilho do modal hoje estão ocupados com coqueiros por causa da indefinição sobre obra (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O governador Mauro Mendes (DEM) negou que a União tenha dado prazo até o final deste mês para decidir se obra do VLT (Veículo Leve sobre Trilho) será retomada ou não. Nesta quarta-feira (9), Mendes disse que essa decisão ainda depende do “desembaraço” de um “emaranhado” de questões, incluindo processos judiciais. 

“Nós queremos resolver da forma mais célere possível, com responsabilidade e levando em conta a complexidade desse problema. Têm oito ações tramitando na Justiça sobre o VLT, patrocinadas pelo governo, pelo Ministério Público Federal”, disse. 

As ações mencionadas pelo governador começaram a ser ingressadas após a investigação da Polícia Federal com a Operação Descarrilho, em 2018, que identificou indícios de corrupção, como direcionamento de licitação e pagamento de propina. 

Por causa dessa investigação, no mesmo ano, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) rompeu unilateralmente o contrato de R$ 1 bilhão com o consórcio de empresas responsável pela obra. 

Essa decisão abriu outra frente de atrito judicial, com a contestação pelo consórcio da legalidade de rescisão sem negociação. 

VLT em pauta

A informação sobre o prazo final foi divulgada após a visita do ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, a Cuiabá, no fim de agosto. O modal foi uma das pautas da reunião. 

Hoje, o governador Mauro Mendes voltou a dizer que a solução para a obra depende da atuação da União, quem aprovou empréstimo a Mato Grosso, em 2012, para o lançamento dos serviços. 

“Tive uma boa conversa com ministro Marinho. O governo federal faz parte do problema e tem que fazer parte da solução. Tivemos lá atrás coisas nebulosas que levaram a mudança do BRT para o VLT”, pontuou. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno empresta meio bilhão de reais para a construção de cinco mil pontes em MT
Próximo artigoSem sintonia política