“Subestimei a doença”, diz Botelho; presidente tem 50% do pulmão comprometido

Deputado está internado em uma unidade semi-intensiva de um hospital particular, em São Paulo

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o deputado Eduardo Botelho (DEM) está com 50% do pulmão comprometido por conta da covid-19. O parlamentar está internado em uma unidade de terapia semi-intensiva em São Paulo (SP).

Com muita dificuldade para falar – em razão da tosse seca provocada pela covid – Botelho fez um vídeo, que foi divulgado durante a sessão extraordinária da ALMT e transmitido ao vivo pela TVAL, na tarde desta terça-feira (14).

No vídeo, Botelho fez uma pequena retrospectiva de como foram os sintomas, desde o final de junho até agora.

“Eu cometi alguns erros, subestimei a doença. Fiz um exame de covid, no dia 26 de junho, isso foi numa sexta-feira. Na terça-feira, comecei a ter sintomas de sinusite. Entendi que era um sintoma normal para este período seco, que eu tenho todos os anos”, contou.

Botelho narra que teve resultado negativo para o exame realizado no final de junho, mas que voltou a ter outros sintomas na semana seguinte.

“Sábado, na hora do almoço, senti algo diferente: um arrepio no meu corpo, da cabeça aos pés, umas três vezes seguidas. Aí percebi que realmente existia algo errado. Fui examinado pelo médico e ele disse que eu estava com sintomas de covid”.

Medicamentos

Na fase inicial da doença, Botelho recebeu orientação médica para fazer uso de alguns remédios como ivermectina e azitromicina. Ele diz ter tomado a medicação por 5 dias.

Na quinta-feira da semana passada, dia 9 de julho, o presidente fez uma nova tomografia e constatou que 10% dos pulmões estavam comprometidos.

O médico passou um novo antibiótico – porque os medicamentos não tinham surtido efeito -, mas a situação de Botelho não melhorou.

No último final de semana, Botelho teve febre alta e calafrios e, após realizar um novo exame de tomografia, constatou que 50% dos pulmões estavam comprometidos pelo vírus.

Decisão de ir para SP

Botelho narra que a decisão de ir para São Paulo foi motivada pelo fato de as UTIs em Cuiabá estarem “colapsadas”.

Segundo o deputado, a deputada Janaina Riva (MDB) foi quem mais articulou e o estimulou a ir para São Paulo buscar por recursos especializados e garantir um leito de UTI, caso precise deste tipo de internação.

“A qualquer momento posso precisar de uma UTI. Como Cuiabá está totalmente colapsada, tomei a decisão de vir para São Paulo. Estou numa unidade semi-intensiva. Não precisei ser entubado e creio que não vou precisar. Não é fácil esse processo”, ele finalizou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtividade essencial
Próximo artigoJustiça chama Estado e mais três municípios para definir quarentena obrigatória