Rede estadual: 8 em cada 10 escolas têm registros de violência

Antes da pandemia, 69% das escolas estaduais tinham casos de violência, agora, são 78%

(Foto: Pixabay)

A rede estadual de ensino em Mato Grosso já contabiliza casos de violência escolar em 78% das unidades. A média significa que 8 em cada 10 escolas têm registro de casos. Os dados foram divulgados no lançamento dos cursos de Mediação de Conflitos Escolares e Facilitadores de Círculos de Construção de Paz.

O número indica um aumento com relação ao período pré-pandemia, afinal, à época, 69% das escolas já tinham esses tipos de registros. Secretário estadual de Educação, Alan Porto diz que as ocorrências chegam diariamente e, por isso, está sendo realizado um trabalho de mediação, em conjunto com o Ministério Público do Estado e Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

A desembargadora Clarice Claudino da Silva, presidente do Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (Nugjur), explica que os facilitadores identificam a existência de um conflito e suas causas e levam os envolvidos a refletirem sobre a situação.

Problema também na rede particular

Todavia, o problema atinge não só a rede pública, mas também particular e até mesmo o ensino superior, segundo apontamento feito pelo jornal A Gazeta, desta terça-feira (7).

Conforme os dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), no primeiro quadrimestre de 2022, foram contabilizadas 631 ocorrências de violência em unidades de ensino. Os principais registros são de ameaça, lesão corporal e vias de fato, sendo 183, 62 e 31 notificações, respectivamente.

Nesse sentido, o promotor de Justiça atuante na área da Educação, Miguel Slhessarenko Júnior, reforça que é preciso trabalhar com os professores para que eles possam atuar como mediadores formados para solucionar os conflitos.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNovo chefão da Warner quer Henry Cavill de volta como Superman
Próximo artigoPortão do Inferno: motociclista que bateu em ônibus seguia para o velório do irmão