Policial da cavalaria de MT é escolhido para curso de Instrutor de Equitação no Exército

Havia apenas 10 vagas e uma delas ficou com o 2º tenente Pulquério, que espera trazer melhorias para a cavalaria da PMMT com a formação

Foto: Arquivo pessoal

A Cavalaria da Polícia Militar de Mato Grosso está prestes a ganhar um reforço de peso. O 2º tenente Marcos Juvino Pulquério, 30 anos, foi o único policial militar escolhido para participar do curso de Instrutor de Equitação realizado pelo Exército Brasileiro.

O curso é realizado desde 1992 e forma “esporas douradas”, título a nível nacional. Os militares formados saem da formação com uma enorme experiência em hipismo, adestramento, equitação e polo, além de aptos a serem instrutores de equitação e ministrar cursos.

A formação tem duração de um ano e meio – seis meses de ensino à distância (EAD) e, depois, 10 meses de fase presencial. As aulas tiveram início no final de julho deste ano e irão até o final de novembro de 2021.

São abertas 10 vagas, que são distribuídas entre militares do Exército Brasileiro, de países vizinhos e da Polícia Militar, que, desta vez, o 2º tenente Pulquério será o único representante.

Foto: Cristiana Moraes

Hoje, a Polícia Militar de Mato Grosso tem apenas um militar formado como instrutor de equitação. Ele realizou o curso na época da Copa do Mundo, quando a Cavalaria da PMMT foi montada. O militar, porém, não está mais na cavalaria e, por isso, o policiamento montando de Mato Grosso está sem nenhum instrutor formado.

“Atualmente os cursos que são ministrados na cavalaria de Mato Grosso são por oficiais que adquiriram conhecimento em cursos básicos, como policiamento montado, um curso de duração de 60 dias aproximadamente. Então os instrutores são esses policiais com cursos básicos, mas nenhum tem o curso avançado de instrutor de equitação”, contou o 2º tenente Pulquério.

Com sua formação, ele espera trazer maior conhecimento para a tropa montada e auxiliar na melhoria da Polícia Militar de Mato Grosso.

“O oficial que faz esse curso retorna com uma enorme experiência e vem formado para ser instrutor de equitação. Então eu vou poder ministrar cursos, vou poder melhorar o nível técnico da nossa tropa montada. A intenção é repassar todo esse conhecimento adquirido nesse um ano e meio de curso e melhorar a nossa tropa. Lá eu vou aprender como iniciar um cavalo, correções de comportamento de um equino, correções do cavaleiro, então a nossa intenção é essa”, disse Marcos Púlquerio, animado.

Foto: Cristiana Moraes

Carreira

O 2º tenente Púlquerio tem seis anos de carreira na Polícia Militar. Entrou no curso de oficiais em 2014 e saiu aspirante em 2016, quando, logo, estagiou na Capital.

Em seguida, foi para Nova Canaã do Norte (680 km de Cuiabá), onde ficou um ano e cinco meses como comandante da cidade.

Voltou para Cuiabá para fazer o curso de especialização para servir na cavalaria. Primeiro fez o de policiamento montado e já entrou na tropa. Há dois anos segue com a cavalaria e nesse período também fez o curso de controle e estudo civil a cavalo.

Atualmente é oficial de operações e comanda a parte operacional da cavalaria, mas, por causa do curso de Instrutor de Equitação, terá que se afastar por um ano e meio e ficar cedido ao Exército Brasileiro, voltando para uma realidade que viveu há muitos anos, quando serviu ao país e foi aspirante oficial no Exército.

Foto: Cristiana Moraes

Com o curso, Pulquério espera também competir e inspirar e auxiliar outros policiais a competirem em provas de hipismo em nível nacional representando a Polícia Militar de Mato Grosso. Ele sabe que ter sido escolhido é uma grande responsabilidade, mas garante que fará o possível para representar bem a PMMT.

“É uma responsabilidade muito grande, principalmente que serei um dos poucos instrutores de equitação formado pelo Exército Brasileiro. Então eu sei da responsabilidade e me sinto feliz. Quero repassar todo esse conhecimento adquirido lá e transformar os cavaleiros daqui em esportistas, essa é minha intenção também. Com todo conhecimento adquirido lá, que a gente venha a incentivar não só os policiais militares, mas o hipismo aqui no nosso Estado”, disse o 2º tenente.

Foto: Cristiana Moraes

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVoluntários preparam ação para crianças afetadas por incêndios no Pantanal; saiba como ajudar
Próximo artigo“Se a mídia está criticando é porque o discurso foi bom”, diz Bolsonaro