Polícia Civil localiza R$ 150 mil em defensivos agrícolas de origem ilícita

Em outra ação realizada na terça-feira (6), a GCCO apreendeu aproximadamente 6 mil litros de defensivos agrícolas roubados de uma fazenda em Sapezal

Defensivos agrícolas de origem ilícita
Foto: Assessoria

Uma expressiva quantidade de defensivos agrícolas de origem ilícita foi encontrada pela Polícia Civil nessa quinta-feira (8), no município de Diamantino (208 km a médio-norte de Cuiabá), em continuidade à investigação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

O material, avaliado em aproximadamente R$ 150 mil, foi encontrado escondido em uma região de mata, nas proximidades da fazenda que foi alvo da operação realizada na última terça-feira pela gerência.

Na ocasião, a equipe da GCCO apreendeu aproximadamente 6 mil litros de defensivos agrícolas roubados de uma fazenda do município de Sapezal no dia 8 de março.

Em continuidade às investigações, na manhã dessa quinta-feira (8) os policiais da GCCO receberam informações de que haveria mais produtos de origem ilícita abandonados em uma região de mata nas proximidades da fazenda.

LEIA TAMBÉM

Com base na denúncia, as equipes foram até o local e conseguiram realizar a apreensão dos produtos. Ainda não é possível afirmar a origem do produto e se foi subtraído de alguma propriedade da região.

Segundo o delegado da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, há indícios de que parte do defensivo encontrado seja falsificado e outra parte possivelmente roubado de alguma fazenda da região.

“As investigações estão bem avançadas para identificar e prender esse grupo criminoso que vem atuando na região de Diamantino, Sapezal, Campo Novo e outras cidades do interior. O material apreendido será trazido para Cuiabá e vamos checar lote por lote e confrontar com registros de ocorrências de furtos ou roubos na região”, disse.

Defensivos agrícolas de origem ilícita
Foto: Assessoria

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Não estou na onda bolsonarista”
Próximo artigoMulher é morta a facadas por não aceitar reatar relacionamento