Novo normal? Espera pelo “kit merenda” gera fila, briga e vira caso de polícia em Cuiabá

Situação relatada pelo LIVRE há uma semana se repete em outras escolas da Capital. No Pedra 90, aglomeração virou tumulto

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Com uma criança nos braços, Sandra Oliveira espera sentada no chão para receber uma cesta básica e uma apostila para o filho, que estuda na Escola Dr. Mário de Castro, no Bairro Pedra 90. Na terça-feira (9), ela faltou no trabalho para enfrentar a fila. Assim como ela, outras dezenas de mães se aglomeraram para retirar os produtos.

“Dificultam tudo para gente. Só o pai ou a mãe pode vir buscar e tem que esperar em fila. Tem gente na fila sem comer, beber água e ir ao banheiro desde 7h”, conta Sandra.

A reclamação da má organização é unanimidade entre as mães e responsáveis. Algumas chegaram ainda durante a madrugada para enfrentar a primeira fila: retirar senha. Os produtos só seriam entregues posteriormente, depois de outra espera.

Quem esperava desde o início da manhã afirma que a fila cresceu para além do extenso quarteirão que compreende os limites da escola. E quem aguardava ficou exposto ao sol.

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

A filha da atendente Alexandra Pereira, que guardava o lugar da mãe, desmaiou. Para não perder o lugar na fila, ela faltou o dia de trabalho para retirar o kit.

“Nem sei se minha filha está bem, vim direto do trabalho. Quem é que pode ficar faltando o serviço na dificuldade que está para arrumar emprego hoje em dia?”, questiona.

Além de desmaio e falta de organização, a entrega das cestas básicas e das apostilas virou caso de polícia com acusações de fura-fila.

“Deu até polícia, o povo foi chegando para se esconder do sol, embaixo de uma árvore. Outra fila foi se formando e deu briga”, conta a cabeleireira Araci dos Santos.

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O que diz a Seduc?

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou que todos os estudantes matriculados na rede estadual têm direito ao kit alimentação. Os repasses foram feitos para cada escola, responsável pela compra e pela entrega dos kits.

“A orientação é que todas as unidades façam agendamento com os pais ou responsáveis para a retirada dos kits, como forma de garantir o distanciamento social”, explica a Seduc.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLula: “Globo tem que informar a verdade – e apenas a verdade”
Próximo artigoCom dívida de R$ 18,2 milhões, Frigorífico Nova Carne entra em recuperação judicial