MPF arquiva ação que investigava irregularidade financeira na UFMT

Procuradoria da República em Diamantino abriu procedimento por suspeita de movimentação financeira em banco privado

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou uma investigação contra a Fundação Uniselva, entidade de apoio à Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), aberta por suspeita de movimentação financeira em conta bancária de agência de cooperativismo. 

O procedimento foi aberto via uma notícia de fato, que apontava que a Fundação estava utilizando a conta em instituição financeira privada para movimentar recurso de convênio público. Esse tipo de movimentação, por órgãos públicos, é proíba em lei por causa da cobrança de taxa de administração. 

Contudo, na medida em que anuncia o arquivamento, publicado no Diário do Ministério Público Federal Eletrônico desta segunda-feira (11), a procuradora Célia Regina Souza Delgado, relatora do caso, diz que não há provas da movimentação pela Fundação Uniselva em instituições financeiras privadas. 

“A Fundação Uniselva, instada a prestar esclarecimentos, informou não possuir contas bancárias em instituições financeiras privadas, independentemente da fonte dos recursos, se públicos ou privados, de modo que concentra todas as contas, exclusivamente, no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal”, informa trecho da publicação. 

O procedimento foi instaurado pela procuradoria da República na sede Ministério Público em Diamantino (200 km de Cuiabá). O parecer da relatora foi aprovado com unanimidade pelos integrantes. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArábia Saudita anuncia criação de cidade ecológica sem carros
Próximo artigoFigueiredo volta ao trabalho