Votos registrados na eleição da Fiemt devem ser inutilizados

Justiça considerou que Comissão havia sido informada sobre suspeição das eleições

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O juiz federal Raphael Casella de Almeida Carvalho, da 8ª Vara Federal, determinou nesta segunda-feira (6) que a Polícia Federal e a Comissão Eleitoral da FIEMT inutilizem os votos registrados na eleição realizada na última sexta-feira (3). Ele argumentou que a Justiça já havia suspendido o processo eleitoral e, por isso, os votos não serão validados.

Conforme a decisão, depois de terem sido comunicadas sobre a sentença que determinou a suspensão do processo eleitoral na Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT), tanto a Comissão Eleitoral quanto as duas chapas que disputam a diretoria optaram por lacrar a urna utilizada na votação. Isso porque a suspensão aconteceu depois que a votação havia sido realizada.

No entanto, o magistrado considerou que os votos não poderão ser utilizados justamente em razão da suspensão determinada.

“A fim de dar efetividade à decisão judicial, defiro parcialmente o pedido do autor para determinar que a Comissão Eleitoral da Eleições Sindicais da FIEMT 2018 proceda à inutilização dos respectivos votos constantes da urna lacrada, na presença obrigatória dos membros da Comissão Eleitoral e da Polícia Federal, esta última visando assegurar a ordem e a lisura do procedimento”, determinou.

A justiça também concedeu o prazo de 24 horas para que a decisão seja cumprida.

Briga judicial
Também nesta segunda-feira, o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho, Edson Bueno, determinou busca e apreensão na urna para que a apuração dos votos aconteça de forma programada, no dia 13 de de agosto.

Ao proferir a decisão, o desembargador considerou que a sentença da Justiça Federal foi proferida por um juízo “incompetente, que contrariou uma liminar do dia 27 de julho que determinava a realização de todo processo eleitoral normalmente, conforme destaca o desembargador do TRT”. Segundo Bueno, a competência para julgar matéria de eleição sindical é exclusiva da Justiça do Trabalho.

Por meio de nota encaminhada à imprensa, a chapa FIEMT Renovada e Independente informou que vai entrar com recursos contra a busca e apreensão determinada pelo TRT. Eles alegam que o desembargador que proferiu a decisão, Edson Bueno, cometeu improbidade administrativa, porque sua decisão não poderia revogar outras decisões da Justiça Federal e da desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, em Ação Popular.

Leia também

Desembargador do TRT determina busca e apreensão de urnas da eleição da Fiemt

Justiça confirma suspensão de eleição da Fiemt nesta sexta

Justiça Federal suspende novamente eleição para presidente da Fiemt

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDefesa de Lula desiste de pedido de liberdade no STF
Próximo artigoComeça o jogo

O LIVRE ADS