Governo prorroga período proibitivo de queimadas e suspende autorizações para desmatamento

Medidas foram tomadas para reforçar o combate aos atos que causam danos contra o meio ambiente

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O Governo do Estado irá prorrogar o período proibitivo de queimadas em Mato Grosso – que se encerraria em 15 de setembro – até o dia 30 de novembro deste ano. O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes (DEM), na tarde desta sexta-feira (30).

Segundo o governo, também serão suspensas, até a mesma data, toda e qualquer autorização para desmatamento no Estado. Decreto com as medidas deve ser publicado em uma edição extra do Diário Oficial ainda hoje.

“Vamos concentrar todas as nossas energias, recursos, equipamentos, para usarmos no combate a esse desmatamento ilegal e a essas queimadas ilegais que estão acontecendo no Estado de Mato Grosso”, afirmou.

Mauro Mendes ressaltou que o Estado tem feito um grande esforço para combater as queimadas e o avanço do desmatamento. Tanto que Mato Grosso foi o único estado da Amazônia Legal que conseguiu reduzir o desmatamento no último ano, com queda de 17%.

O governador registrou que a preservação ao meio ambiente, além de ser um dever por consciência ambiental e cidadania, também é fundamental para as relações comerciais do estado.

“Nós estamos muito conscientes do papel de Mato Grosso no comércio internacional e agronegócio brasileiro e vamos fazer todo o esforço para mostrar que o nosso estado está amplamente alinhado com o que pensa o mundo em termos de questões ambientais e que estamos fazendo aqui um esforço gigante para estarmos na legalidade e contribuir com o clima e os aspectos ambientais do planeta”, sublinhou.

De acordo com o governador, as novas medidas foram discutidas com todos os setores envolvidos, desde os órgãos responsáveis pelo combate às queimadas e desmatamento, quanto com a Assembleia Legislativa e o setor produtivo.

“Conversamos com os representantes dos setores produtivos e todos eles concordaram. Eles também querem uma agricultura e um agronegócio sustentável. Temos que mostrar ao Brasil e ao mundo que respeitamos o meio ambiente, isso abre as nossas portas para manter o comércio internacional tão importante para a economia de Mato Grosso e do nosso país”, reforçou.

(Com assessoria)