Ex-agente do Pomeri envolvido em tortura tem revisão de pena negada

Adolescente foi espancado e abusado sexualmente por outros internos após condenado deixar a cela aberta

Os depoimentos dos internos do Complexo Pomeri foram considerados como prova ilegítima pelo ex-agente prisional Adão Baca Hermoza, condenado a 1 ano e 2 meses em regime aberto, bem como a perda da função pública. Ele abriu a porta da cela para que um dos adolescentes da instituição fosse espancado, torturado e sofresse abuso sexual pelo demais internos.

Hermoza entrou com um pedido de revisão da condenação, que foi rejeitada por unanimidade pelos desembargadores que compões a 2ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Durante a sessão, o desembargador Pedro Sakamoto, citou partes do processo, nos quais os internam aponta que o ex-agente abriu a porta de uma cela, chamada latão, para que os outros 5 internos entrassem e atacassem um rapaz de 16 anos.

O crime aconteceu em 2012. Em um dos depoimentos há ainda a afirmação de que Hermoza chegou a armar um dos agressores com uma barra de ferro.

Naquela ocasião, o então agente socioeducativo alegou que apenas abriu a cela para que a alimentação dos internos fosse entregue, o que na avaliação do magistrado não justifica a inércia dele diante do fato. “Será que não ouviu o alvoroço?”, questiona.

A vítima perdeu a consciência diversas vezes durante o espancamento e nada foi feito.

Para concluir, Sakamoto usou o depoimento de uma psicóloga que constava nos autos. Ela informou que o ambiente é muito hostil e é visível que, enquanto uns recebem regalias, os demais são entregues a própria sorte ou aos desmandos de quem será o “protetor”.

No relato, a profissional ainda conclui que muitos dos agentes chegam a acreditar que, naquela condição, se faz a justiça e, por muitas vezes, preferem “lavar as mãos”, como se acreditasse o interno merecesse o castigo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAvanços tecnológicos na indústria de jogos
Próximo artigoCuiabá excluirá profissionais da lista de prioridade de vacinação contra a covid-19