Evasão escolar: Unicef realiza seminário em Cuiabá para “treinar” gestores públicos

Ideia é fornecer ferramentas para municípios, de fato, iniciarem uma busca por alunos que abandonaram ou estão prestes a abandonar a escola

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Em Mato Grosso, apesar de 99% dos municípios terem aderido ao projeto de busca ativa escolar do Unicef, pouco mais de 50% está, de fato, realizando ações de identificação de crianças que estejam fora da sala de aula ou em risco de abandono escolar.

Em 2020, o Estado tinha 64.269 crianças e adolescentes das redes municipal e estadual em distorção idade-série e 1.223 alunos em situação de abandono escolar. Especialistas apontam que a necessidade de aulas remotas durante a pandemia – num cenário de baixa inclusão digital – pode ter agravado a situação.

LEIA TAMBÉM

Para fortalecer esta agenda e cada vez mais apoiar os municípios na implementação da busca ativa por esses alunos, o Unicef e parceiros estão organizando uma série de atividades de apoio e pactuação política com todos os 141 municípios de Mato Grosso.

Na próxima segunda-feira (16), por exemplo, será realizado em Cuiabá um seminário sobre o tema com as presenças do governador Mauro Mendes, do presidente da AMM, Neurilan Fraga, da coordenadora do Unicef no território amazônico, Judith Leveillée, e outras autoridades locais.

Durante o Seminário serão apresentados os resultados, os gargalos e as lições aprendidas até o momento, assim como a definição de compromissos em prol dos direitos das crianças e adolescentes.
Logo após o seminário, será realizado um ciclo de capacitações presenciais com os municípios, para as equipes municipais envolvidas na realização da busca ativa por alunos. As capacitações serão realizadas por polos Cuiabá e Sinop.

Como parte desta estratégia, o Unicef e parceiros disponibilizaram a ferramenta metodológica e tecnológica de busca ativa escolar para uso da gestão municipal, sem qualquer custo. Com ele, os municípios e estado têm dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a garantia de direitos de meninas e meninos.

A susca ativa escolar reúne representantes de diferentes áreas (educação, saúde, assistência social, planejamento etc.), fortalecendo a rede de proteção. Cada secretaria e profissional tem um papel específico, que vai desde a identificação de uma criança ou adolescente fora da escola ou em risco de abandono, até a tomada das providências necessárias para seu atendimento nos diversos serviços públicos, sua (re)matrícula e sua permanência na escola.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConservadores desconfiados
Próximo artigoSaberes e Sabores da Terra: conheça a história dos produtores que estão na Praça Alencastro