Dicas de cinema: cinco filmes atuais para você entender o surrealismo

Em A Origem há uma realidade onde é possível entrar na mente humana. Confira nossas dicas!

A Origem: Dom Cobb (Di Caprio) é um ladrão com a rara habilidade de roubar segredos do inconsciente

Movimento artístico que surgiu no início do século XX, em Paris, o surrealismo nasceu como manifestação livre do irracional e do subconsciente. Inicialmente usado como inspiração em criações nas artes visuais, foi expandido para o universo do teatro e do cinema.

Na sétima arte, as primeiras obras surrealistas eram marcadas por histórias confusas e com cenas perturbadoras, com o objetivo de explorar os sonhos tornando o irracional real. O cineasta espanhol Luis Buñuel é um expoente do gênero, com o clássico “Um Cão Andaluz” (1929).

Após a Segunda Guerra Mundial, os filmes produzidos não possuíam mais a estética totalmente surrealista, mas sim elementos do movimento pertinentes a grande parte deles. Entre esses elementos destacam-se: o uso da ironia, a múltipla simbologia das cenas, narrativas que remetem a sonhos e desejos reprimidos, além de outros recursos para confundir quem está assistindo.

Na contemporaneidade, o surrealismo influenciou várias obras. Listamos cinco filmes para quem quer aprender um pouco mais sobre o gênero:

1. A Origem (2010), Christopher Nolan

Em uma realidade onde é possível entrar na mente humana, Dom Cobb (Leonardo DiCaprio) e seus parceiros são especialistas em roubar segredos do subconsciente das pessoas. O filme decorre através dos sonhos e mergulha na questão da capacidade do inconsciente. Disponível na Netflix.

2. O Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças (2004), Michel Gondry

Com raiva após o fim do relacionamento com Joel (Jim Carrey), Clementine (Kate Winslet) faz um procedimento médico para apagá-lo de sua memória. Ao descobrir o fato Joel decide fazer o mesmo, mas entra em conflito com sua própria mente tentando impedir que se esqueça do amor da sua vida. Disponível na Netflix

3. Coraline e o Mundo Secreto (2009), Henry Selick

Entediada após a mudança para Michigan, a jovem e curiosa Coraline Jones (Dakota Fanning) encontra uma pequena porta em sua casa que a transporta para outro mundo. Tudo parece ser perfeito, mas pouco a pouco esse universo vai se tornando obscuro. A trama reflete sobre desejos e sonhos que podem se tornar pesadelos.

4. Cisne Negro (2010), Darren Aronofsky

Obcecada pela perfeição, após receber o papel da Rainha Cisne, a bailarina Nina (Natalie Portman) encontra-se em uma batalha com a sua mente. Cercada por seus problemas emocionais, uma mãe controladora e a pressão do diretor, a protagonista desenvolve uma segunda personalidade e luta por seus objetivos contra ela mesma.

5. Mãe! (2017), Darren Aronofsky

Um casal (Jennifer Lawrence e Javier Bardem) que vive em uma casa no campo vê sua vida mudar totalmente após a chegada de visitantes inesperados. O filme é repleto de cenas enigmáticas e com intensa simbologia, a essência do surrealismo está fortemente presente na história.

Agora é só estourar a pipoca e boa sessão!

* Rebeca Cruz é estudante do segundo semestre da Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Federal de Mato Grosso

LEIA TAMBÉM

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMorre juiz aposentado Aparecido Chagas
Próximo artigoSaiba quem foi Zuzu Angel, a mulher que revolucionou a moda brasileira