Da cena underground para a cozinha: músico prepara os burgers do Jaka

Os fãs também viraram clientes...

Entre as calmas manhãs do setor administrativo do Horto Florestal e as agitadas noites do underground cuiabano, o servidor público e músico Aldivan Farias Assad tem ocupado um novo espaço: a cozinha.

Mesclando as duas habilidades, ele elabora e prepara suas próprias receitas, além de administrar o primeiro negócio, a Toca do Jaka. O canto dos pássaros e dos instrumentos musicais dá lugar, então, ao som da chapa.

É que depois de emplacar o ovacionado quibe do Jaka, os burgers são as novas apostas e tem gente que o segue pela cidade.

Como não há um ponto fixo, seus clientes têm o acompanhado nos eventos dos quais participa, como a Feira do Vinil ou, às segundas quintas-feiras de cada mês, quando potencializa o cardápio da Kessbier Express, no bairro Morada do Ouro.

A parceria entre Jaka e o bier sommelier Camilo Saes está mais que perfeita: burger e cerveja, ótima combinação

O quibe é distribuído em diversos bares de Cuiabá e pode ser pedido sob encomenda. Já a oportunidade mais próxima de degustar o burger do Jaka é no dia 7 de dezembro, quando ele participa de mais uma edição da Feira do Vinil. O evento ocorre na Casa Cuiabana, das 14h às 21h.

Ele conta que começou a fazer a receita do quibe de peixe, há cerca de 10 anos.

“Era aniversário de um amigo e ele falou: ‘Jaka, fica na cozinha para gente que sua cota está liberada e a cerveja, garantida’”.

Era para fazer peixe e o amigo chegou com porções de quibe de peixe como tira-gosto.

Jaka ficou curioso para saber mais sobre a receita. “Ele disse que havia comprado na peixaria e eu desafiei: ‘eu faço muito melhor’”.

E foi aí que Jaka começou sua saga. “A receita é a mesma até hoje e muito simples: carne de tambacu moída e farinha de quibe. E claro, uns temperinhos aí que o cozinheiro não revela”, se diverte.

Desta festa entre amigos ao início das vendas foi um pulo só.

“Logo eu estava atendendo encomendas para os primeiros bares, como o Canelinha, que ficava na rua 24 de Outubro. Eu entregava congelado e eles preparavam na hora para os clientes, com é hoje em alguns bares do Coophema, onde eu moro, no Cavernas Bar, Kessbier e na Marina do Altayr, no Manso”.

Opções de burger

Dentre as opções de burger do Jaka, os blends bovinos com calabresa e bacon são bastante procurados, bem como uma versão que é inspirada por sua descendência árabe.

O Burkafta vem com 175 gramas de burger de fraldinha com temperos árabes. Servido no pão com gergelim. Vem acompanhado ainda de muçarela derretida e creme de pimenta cumari.

Para contemplar os paladares que apreciam o doce e o salgado, o Double Cheese Tropical tem blend de carne bovina com bacon de 150 gramas, mussarela, queijo prato, tomate, alface, agrião e abacaxi, servido no pão francês bola.

Agridoce: olha só essa fatia de abacaxi no meio do burger!!!

No Burguesa, a carne bovina é mesclada com a calabresa em disco de carne de 150 gramas, com muita mussarela, agrião, alface, tomate e maionese, servido no pão francês bola.

Já o Burbacon, como denuncia o nome, vem com blend de carne bovina com bacon (150 gramas), muita mussarela, alface roxa, tomate e maionese, também no pão francês bola.

Por fim, o Churras Burger tem disco de 200 gramas de carne, com muita mussarela e vinagrete. Ele é servido no pão de malte e acompanha creme de alho refrescante.

A propósito, quem vai à Kessbier em uma dessas quintas-feiras pode aproveitar que tem promoção semanal: o cliente pede dois chopes pilsen 300 mililitros e ganha o terceiro.

Mas é só das 18h às 21 horas.

Jaka, o início

As primeiras experiências na cozinha vieram logo cedo.

“Aprendi a cozinhar por necessidade. Minha mãe trabalha fora, meu padrasto também. E assim, eu tinha que cuidar dos 3 irmãos, mais novos do que eu. Tinha que fazer de um jeito ou de outro, se não, passava fome”, sorri.

E a primeira especialidade… “Macarrão! Fala o molho que você quiser que eu faço”.

O músico que nasceu em Ladário (MS) e morou no Rio de Janeiro (RJ), Corumbá (MS), Natal (RN) e Campo Grande (MS), ganhou o apelido quando chegou em Vitória (ES).

“Cheguei lá e, no primeiro dia, me disseram: ‘Campo Grande fica no Pantanal, não é?’. No outro dia já estavam me chamando de jacaré. Daí, depois dos rangos, virou Jaka, com uma forcinha do meu amigo marqueteiro, Jomar Brites. Foi ele quem fez minha logo, também”.

Ele relembra que chegou a Cuiabá em 1992 e logo entrou para uma das bandas mais lendárias do rock’n roll mato-grossense, a GTW. E de lá para cá, permanece firme e forte na cena underground.

Por enquanto, ele não tem planos de abrir uma loja física para vender suas especialidades na cozinha, mas pretende seguir com os atendimentos sob encomenda.

“Trabalho meio período no Horto, no período da manhã. De tarde preparo tudo”.

De noite e aos fins de semana ainda arruma tempo para circular e, se o dia for favorável, é dia de tocar com sua banda, uma das tarefas que mais lhe deixa feliz.

Quer mais informações sobre os pratos do Jaka? Ligue (65) 99622-1969.

Se quiser experimentar o Jaka na segunda quinta-feira de cada mês na Kessbier, anote o endereço: Rua 4, 5, Setor Oeste, bairro Morada do Ouro. Mais informações: 99939-8618.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS