Contra o coronavírus, prefeitura passa a distribuir máscaras de celulose

Uma "invenção" carioca

Divulgação

Encontrar máscaras descartáveis nas farmácias têm se tornado um grande desafio para diversos consumidores ávidos em se proteger do novo coronavírus. A demanda alta está desabastecendo até mesmo os fornecedores mais preparados.

As máscaras caseiras – feitas de tecido – têm sido a solução mais comum. Mas a Prefeitura do Rio de Janeiro encontrou outra saída.

As máscaras entregues em lugares como no terminal de barcas, no Alvorada ou BRT são feitas de celulose. E antes que alguém questione, o material foi aprovado pela Anvisa.

Vale ressaltar apenas que o uso deve ser por quatro horas seguidas.

Segundo o secretário de Ordem Pública e chefe do gabinete de crise carioca, Gutemberg Fonseca, serão distribuídas 1 milhão de unidades, inclusive em comunidades carentes.

A prefeitura também avisa que a máscara não é recomendada para profissionais de saúde em hospitais que necessitam de EPIs mais eficazes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá aumenta frota de ônibus para 70% a partir desta segunda
Próximo artigoCresce o número de pacientes da covid-19 internados em UTIs em Mato Grosso

O LIVRE ADS