Câmara de Cuiabá tem novo pedido de comissão processante contra Emanuel Pinheiro

Comissão especial diz que análise de documentos da Operação Capistrum comprovam crime de improbidade administrativa

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Um novo pedido de instalação de comissão processante foi protocolado nesta terça-feira (23) na Câmara de Cuiabá para investigar o prefeito afastado Emanuel Pinheiro (MDB). O requerimento foi apresentado pelo vereador Dilemário Alencar (Cidadania).

É o quarto pedido protocolado na Câmara desde a deflagração da Operação Capistrum pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco), em 19 de novembro. Os três primeiros foram votados e rejeitados.

O mais recente inclui documentos da denúncia feita pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE), que afirma que Emanuel Pinheiro e a primeira-dama Márcia Pinheiro encabeçariam uma suposta organização criminosa para a contratação irregular de servidores temporários e pagamento indiscriminado do prêmio-saúde.

“O Ministério Público juntou cópias de falas de ligações entre o prefeito afastado e pessoas próximas a ele que mostram, cabalmente, o crime de improbidade administrativa. Precisamos nos posicionar sobre isso”, disse Dilemário. 

Comissão especial 

Também hoje foi divulgado o relatório da comissão especial que analisou os documentos da Capistrum. A presidente da comissão, vereadora Edna Sampaio (PT), diz que “ficou comprovado o crime de improbidade administrativa”. 

Segundo ela, será apresentado um pedido de instalação de comissão processante.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTornozeleira e botão do pânico: governo de MT vai cobrar diária de R$ 11 de criminosos
Próximo artigo“Quero ver ele num carro de som falando com o povo”, diz Bolsonaro sobre Sergio Moro