Pela segunda vez, vereadores rejeitam instalar investigação contra Emanuel Pinheiro

Votação aconteceu ao final da sessão desta quinta-feira (18) e 15 parlamentares decidiram pela rejeição ao requerimento

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Os vereadores de Cuiabá rejeitaram o pedido de instauração de uma Comissão Processante contra o prefeito afastado Emanuel Pinheiro (MDB). A votação aconteceu nessa quinta-feira (18) e teve como resultado 15 votos contra e 8 a favor.

O vereador Rodrigo Arruda e Sá (Cidadania) foi um dos que pediram justificativa de voto. O parlamentar se posicionou contra a comissão sob o argumento de que vai esperar o resultado das investigações e das demais comissões parlamentares de inquérito para definir qual deve ser o destino do prefeito afastado.

Emanuel está há um mês longe de suas funções, desde a Operação Capistrum, deflagrada pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) do Ministério Público de Mato Grosso.

O objetivo da investigação era apurar supostas fraudes em contratações e pagamentos de benefícios a servidores temporários da Secretaria Municipal de Saúde.

LEIA TAMBÉM

Justificativas

Sargento Vidal (Pros) alegou que votou negativamente nesta sessão porque na próxima semana a Comissão Especial de Acompanhamento deve apresentar o seu relatório.

A informação foi reforçada pela vereadora Edna Sampaio (PT) que frisou que o parecer deve apresentar sugestões de providências a serem adotadas pela Câmara de Vereadores com relação às denúncias e processos judiciais que tramitam contra Emanuel. Contudo, durante a votação, a parlamentar surpreendeu já se posicionando a favor da instauração da comissão processante.

Eduardo Magalhães (Republicanos) que se absteve na votação anterior, agora votou “sim” à comissão. O vereador avaliou que essa discussão é desgastante, esse foi o segundo pedido votado e rejeitado. O parlamentar defendeu que essa seria uma oportunidade para Emanuel ter seu direito de ampla defesa.

Dilemário Alencar (Podemos) lembrou que são necessários 13 votos a favor para a instauração da comissão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSTF vai investigar se José Medeiros cometeu crime de racismo
Próximo artigoSTJ revoga afastamento de Emanuel Pinheiro da Prefeitura de Cuiabá