Bezerra diz que movimento é “nefasto”; Galli queria ter Moro e Bolsonaro no nome

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O deputado federal Carlos Bezerra (MDB) classificou como “nefasto” o movimento que surgiu no Congresso Nacional nesta quarta-feira (11) para mudança do nome parlamentar, em homenagem a aqueles que consideram personalidades nacionais. “Isso desacredita os políticos do Brasil. Eu não vou botar nome de ninguém, o nome que tem que estar lá é o meu. Meu nome e meu partido. Isso é sofisma e eu sou contra”.

O movimento começou quando deputados e senadores do PT pediram para Câmara e Senado incluírem o sobrenome “Lula” em seus nomes parlamentares, numa referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba (PR) após condenação em segunda instância por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O deputado federal pelo PT de Mato Grosso, Ságuas Moraes, declarou que ainda não protocolou o pedido, mas não descartou a possibilidade. “Estou aguardando uma decisão sobre o impasse burocrático que surgiu na Casa com os pedidos, mas provavelmente vou solicitar a mudança em defesa do legado do presidente Lula, condenado sem provas”.

Após a solicitação do PT, parlamentares contrários ao partido protocolaram ofícios solicitando a inclusão de nomes como “Moro”, em homenagem ao juiz Sérgio Moro, que determinou a prisão de Lula. O senador por Mato Grosso, José Medeiros (PODE), por exemplo, requereu que seu nome nas atividades parlamentares passe a ser “José Moro Medeiros”.

Já o deputado Victório Galli (PSL) disse não ter acreditado que os parlamentares do PT realmente fariam o pedido e ironizou o movimento. “Achei que era brincadeira, mas se é verdade vou pedir para mudar o meu também. Vou colocar Victório Moro Bolsonaro Galli”, brincou, numa alusão ao juiz e ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSL).

Para Ságuas a manifestação contrária ao pedido dos parlamentares petistas pode acabar barrando a mudança dos nomes. “Todo mundo fazendo pode impedir que aconteça. O presidente da Câmara pode alegar algum impedimento legal”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAção de juíza de MT para ter direito a licença remunerada volta à pauta
Próximo artigoSuspeitos de crime ambiental recebem alta e vão depor