Após perder perna em acidente, homem vira Papai Noel de centro de reabilitação e dá exemplo de inclusão

A visita do Papai Noel sem uma das pernas agitou a rotina de quem participa da reabilitação

Foto: G1

Um acidente de moto sofrido em 2017 mudou a vida do Wellington do Vale Diniz completamente. Sofreu um acidente, precisou amputar a perna direita na altura do joelho, teve que se adaptar e se tornou porta voz da inclusão.

Quando sofreu o acidente, Wellington não conseguia se acostumar com a nova vida e chegou a tentar contra a própria vida. No entanto, meses depois, passou a fazer reabilitação, em janeiro deste ano, e, neste fim de 2018, recebeu um convite especial: foi convidado para ser Papai Noel da clínica onde fez tratamento, ligada a rede Rede Lucy Montoro, em Marília, no interior de São Paulo.

“A gente acha que tem dificuldades na vida, mas, entrando aqui, vi que não existe dificuldade pra gente. Tem barreiras, mas elas surgem para que a gente passe por elas”, comentou Wellington ao G1.

A visita do Papai Noel sem uma das pernas agitou a rotina de quem participa da reabilitação. Foi um dia de festa e que celebrou, entre outros pontos, a inclusão.

Na comemoração natalina, teve espaço para todos. De crianças à adultos, todos se alegraram com a presença de um papai noel “diferente”.

Alguns, afirmaram que o ato promovido pela clínica levou mais motivação para que os pacientes continuassem a jornada. Afinal, o Natal é símbolo de esperança.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS