À espera de Lula, PT não define se apoia Wellington

Cotado para majoritária, Lúdio diz que será candidato a deputado estadual e defende Edna para governo

Foto: assessoria do PT

Por 88 votos a 50, o Partido dos Trabalhadores (PT) de Mato Grosso decidiu, neste sábado (28), que a Executiva Estadual é quem vai definir se lança a professora Edna Sampaio ou se apoia o senador Wellington Fagundes (PR) na disputa ao Governo do Estado.

O ex-vereador Lúdio Cabral (PT), que disputou sem sucesso a Prefeitura de Cuiabá em 2012 e o Governo em 2014, chegou a ser cogitado como vice de Wellington, ou para senador, mas voltou a garantir que não vai concorrer a uma vaga majoritária.

“Estou inscrito como pré-candidato a deputado estadual e defendo a pré-candidatura da professora Edna ao governo. Meu nome para vice ou candidato à majoritária está descartado”, enfatizou.

O presidente estadual do PT, deputado Valdir Barranco, favorável à aliança com o republicano, disse que sem Lúdio como nome para vice a prioridade é garantir o palanque do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Mato Grosso.

“A questão de majoritária só surgiu nos últimos dias pelo interesse do Wellington, não estava no nosso foco e vamos continuar o diálogo com as mesmas prioridades [garantir a vaga de deputado federal e ampliar a garantia das vagas de proporcional e palanque para Lula] que tínhamos elegido”, explicou Barranco.

Cogitada como pré-candidata ao Governo do Estado pelo PT, em uma candidatura própria, a professora Edna criticou a possível aliança com o senador e pré-candidato ao Governo pelo PR, Wellington Fagundes.

De acordo com ela, as prováveis alianças políticas para majoritária não proporcionariam apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Dessas candidaturas que são colocadas aí, nenhuma vai defender o Lula. Eles [partidos], na verdade, querem é apagar o presidente Lula. É um conjunto para silenciar e apagar o Lula”, disparou.

A professora Edna, que saiu da reunião deste sábado sem definição se concorrerá ao Governo, afirmou que seu nome foi apresentado pela militância.

“O caminho é o inverso: a direção constrói a candidatura e apresenta o nome à militância. Demonstra que há uma força viva querendo se expressar nessas eleições com uma candidatura própria”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMotorista de caminhonete perde o controle, atinge três motos e deixa mulher em estado gravíssimo
Próximo artigoA revanche de Lúdio

O LIVRE ADS