Única entidade a atender animais de rua fecha as portas em Sinop

Mayla Miranda/O Livre

Apams Sinop

A Associação Protetora dos Animais de Sinop (Apams) fechou as portas em Sinop por falta de recursos financeiros. Um grupo de representantes estiveram na Câmara Municipal nesta segunda-feira (19), solicitando apoio dos parlamentares para intervenção junto ao executivo municipal para o recebimento de convenio que mantinha a entidade.

De acordo com o voluntário Ronaldo Pereira, para continuar funcionando a entidade precisaria de R$ 50 mil por mês e, com a ajuda da prefeitura e doações, o valor de arrecadação não chega a 22% do que é necessário em 2018.

Pereira lembra ainda que, sem os recursos municipais, a associação não tem condições financeiras para operar nas condições mínimas e que o valor repassado pela prefeitura vem diminuindo a cada ano. “Em 2016, foi repassado um valor de R$ 360 mil. Em 2017, o valor foi para R$ 170 mil com a ajuda da câmara municipal. E para este ano, o repasse chega a R$ 112 mil, sendo R$ 60 mil da prefeitura e R$ 52 mil da Câmara”, explica.

Outro problema é que o valor só começa a ser repassado no mês de junho – e vem dividido em 7 parcelas de R$ 16 mil.

A entidade conta hoje com 6 funcionários e cerca de 250 animais, entre cães e gatos. O fechamento não vai interferir nos cuidados deles, o que muda é que não será mais acolhido nenhum animal. 

“É uma situação complicada, porque se continuarmos postergando o problema, chegaremos a uma situação da qual não teremos mais como sair”.

Caso a prefeitura não reavaliar o repasse, o voluntário diz que a entidade fechará definitivamente. “Os doadores mais expressivos e que estão na diretoria não estão mais conseguindo contribuir e com a ajuda que a prefeitura dá não é suficiente. Então, de duas uma: ou a prefeitura nos ajuda com valor real ou a Apams está fechada mesmo”.

De acordo com o vereador Dilmair Callegaro (PSDB), a prefeitura está se furtando de cumprir seu dever, “Ou a prefeitura constrói o centro de zoonoses, assumindo o trabalho que eles fazem, ou tem que fazer os repasses corretamente. O cuidado com os animais da cidade é de responsabilidade do município”, ressalta.

O parlamentar lembra ainda que o mesmo problema aconteceu com a APAE de Sinop, que neste ano sofreu duros cortes de recursos e teve que contar com repasses da Câmara.

Outro lado

Em nota enviada ao site, a Prefeitura de Sinop afima que está buscando uma solução para o problema. Confira:

– Em relação aos repasses financeiros feitos a Associação Protetora dos Animais (APAMS), a Prefeitura de Sinop esclarece que:

– Desde 2009 são celebrados convênios anualmente com a Associação Protetora dos Animais (APAMS), sendo que até o ano de 2017 os repasses feitos por meio de convênio totalizam R$ 970 mil (novecentos e setenta mil reais).

– Para 2018 serão destinados R$ 112.937,80 (cento e doze mil, novecentos e trinta e sete reais e oitenta centavos) para a APAMS, por meio de convênio.

– A Prefeitura lembra ainda que para o ano de 2018 já tem previsto convênio com 20 instituições do município e repasses de R$ 3.382.618,80 (Três milhões, trezentos e oitenta e dois mil, seiscentos e dezoito reais e oitenta centavos).

– A Prefeitura de Sinop reforça ainda que reconhece o trabalho prestado pela APAMS e informa que a prefeita Rosana Martinelli buscará uma solução, em conjunto com os vereadores, para evitar o fechamento da associação.

Prefeitura de Sinop

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJuiz decreta soltura e Arcanjo vai deixar a prisão na próxima segunda-feira
Próximo artigoJuiz que determinou grampos diz que não desconfiava da ação de militares

O LIVRE ADS