TCU barra Caixa Econômica e União de liberar dinheiro para instalação do BRT

Ministro Jorge Oliveira disse que estudo sobre o BRT não conclui que seja mais viável a troca de projeto

(Foto: Reprodução / Governo de MT)

O Tribunal de Contas da União (TCU) vetou o Ministério do Desenvolvimento Regional e a Caixa Econômica Federal (CEF) de liberar o dinheiro para a instalação do BRT (ônibus de tráfego rápido, da sigla em inglês) em Cuiabá e Várzea Grande. 

O ministro Jorge Oliveira disse que os documentos apresentados pelo Governo de Mato Grosso e pela União não incluem o estudo de viabilidade econômica, técnica e ambiental para a instalação do modal, o que tornaria o parecer a favor irregular. 

“Percebe-se, de imediato, uma contradição entre as informações do governo do Estado e do MDR [Ministério de Desenvolvimento Regional], já que a pasta não respalda a decisão do ente subnacional. Os estudos do grupo de trabalho [financiado pelo Ministério] apontaram que a mudança de VLT para BRT seria mais arriscada e teria maior impacto do que outras alternativas cogitadas”, disse. 

O veto à liberação do dinheiro acata um pedido da Procuradoria Geral de Cuiabá, que destacou “a falta de cooperação” entre Estado e municípios para decidir pelo BRT. A colaboração dos municípios foi elencada como critério para a elaboração do projeto de obras. 

O Governo de Mato Grosso solicitou à Caixa Econômica a mudança de modal com transferência do subsídio em janeiro deste ano. A autorização, que depende do Ministério do Desenvolvimento Regional, é necessária para o lançamento do edital do BRT. 

Quitação de dívida 

O governo divulgou hoje que negocia com a Caixa Econômica a dívida de R$ 560 milhões, restante de empréstimo de mais de R$ 1 bilhão feito para a construção do Veículo Leve sobre Trilho (VLT). 

Segundo o governador Mauro Mendes, a conclusão da dívida permitirá o Estado de soltar a licitação para o BRT.  

“A dívida está sendo paga literalmente em dia, mas o Estado vai quitar e  encerrar essa relação que existe com a Caixa Econômica. Nós estávamos aguardando deles [Caixa Econômica] uma tratativa para autorizar a migração do modal, como estão demorando, nós não podemos soltar essa licitação sem autorização deles que são os financiadores”, afirmou. 

Ainda segundo o governo, o edital para a licitação do BRT já foi concluído pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra). 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVai viajar nas férias? Pilotos e comissários farão greve a partir do dia 29
Próximo artigoEmpresa é multada em R$ 450 mil por contaminar o solo em Várzea Grande