STF mantém prisão de produtor rural por morte de mulher em MT

Crime que chocou a população de Sorriso aconteceu em 2019

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou na segunda-feira (24) conceder liberdade ao produtor rural Jackson Furlan, preso preventivamente pela suspeita de ter assassinado a engenheira agrônoma Julia Barbosa de Souza, após persegui-la no trânsito por se sentir incomodado por uma “fechada” do veículo que dirigia.

O crime aconteceu no dia 9 de novembro de 2019 em Sorriso ( a 420 km de Cuiabá). O Ministério Público Estadual (MPE) já ofereceu denúncia por homicídio qualificado e tentativa de homicídio. O acusado Jackson Furlan aguarda para ir a júri popular.

A decisão foi dada pela Segunda Turma da Suprema Corte. O voto do relator, ministro Ricardo Lewandowski, foi acompanhado pelos ministros Kássio Nunes Marques, Gilmar Mendes, Edson Fachin e Carmen Lúcia.

Foi rejeitada a tese da defesa de que a prisão preventiva configuraria constrangimento ilegal por excesso de prazo e configura no atual momento em flagrante ilegalidade, o que justificaria a concessão de uma liminar para colocar o acusado imediatamente em liberdade.

A defesa se insurgia contra decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que negou a liminar em um habeas corpus; porém, o mérito ainda não foi julgado.

O caso

A engenheira agrônoma Julia Barbosa de Souza estava em uma caminhonete, junto com o namorado, na noite de 9 de novembro de 2019.

Conforme a Polícia Civil, o casal teria sido perseguido depois de ultrapassar outra caminhonete. Quando foi ultrapassado, Jackson Furlan teria ficado irritado. Ele buzinou diversas vezes e queria que o casal parasse o veículo.

Eles foram perseguidos pelo motorista até que, em determinado momento, o suspeito teria sacado uma arma e disparado. O tiro atingiu a cabeça da vítima.

O namorado da jovem socorreu a vítima até um hospital e a polícia foi chamada. Ela não resistiu e morreu na unidade de saúde.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCPI da Covid vai ouvir governadores de nove Estados
Próximo artigoEstado de MT avalia adiar retorno às aulas e AL suspende derrubada de veto