|terça, 22 maio 2018

    Silval será para Maggi o que Dilma foi para Lula e Pitta para Maluf

    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Ednilson Aguiar/O Livre

    Ministro Blairo Maggi, durante Seminário Agronegócios a força do campo em Cuiabá

    Blairo Maggi: a herança de Silval para ele é a mesma que a de Dilma para Lula

    A aparição de Blairo Maggi no Jornal Nacional desta terça-feira (24) durou 15 segundos, tempo suficiente para duas ou três platitudes sobre a controvertida “portaria do trabalho escravo”. Mas a fugaz passagem pela telinha embutiu um par de informações interessantes. Os brasileiros em geral descobriram que, embora não pareça, existe um ministro da Agricultura. E os mato-grossenses constataram que o senador licenciado ainda consegue falar. Blairo perdeu voluntariamente a voz por algumas semanas pela simples e boa razão de que não sabe o que dizer sobre Silval Barbosa.

    O sumiço e o silêncio só servem para confirmar a inexistência de álibis capazes de remover a imensa pedra que lhe obstrui a trajetória política: há um Silval no meio do caminho. Talvez fosse mais prudente se tivesse assimilado duas lições recentes. Celso Pitta, o pior prefeito da história de São Paulo, foi coisa de Paulo Maluf. Dilma Rousseff, a pior presidente da história da República,  foi coisa de Lula. O pecador compulsivo que resolveu abrir o bico depois de um ano de cadeia é coisa de Blairo Maggi. Surtos de mudez não mudam fatos. E esse tipo de filhote tem sempre a cara do pai.

    Há séculos se repete que a criatura costuma voltar-se contra o criador. Muitos afilhados promovem traições explícitas. Outros podem dispensar-se de punhaladas nas costas: para produzir estragos de bom tamanho na imagem dos padrinhos, só precisam atender às ordens emanadas de cabeças desertas de neurônios e infestadas de ideias de jerico, planos imbecis ou projetos criminosos.

    Quem se decepciona com um poste se vinga do fabricante na eleição seguinte. Maluf pediu aos eleitores que lhe negassem o voto se Pitta fosse mau prefeito. O pedido vem sendo atendido desde o século passado, e Maluf nunca mais venceu um pleito majoritário. Dilma virou presidente graças a milhões de eleitores que nela enxergaram “a mulher do Lula”. Ao afundar, castigou o criador com o abraço de afogado. Blairo transformou Silval em candidato a vice. De olho no Senado, entregou o cargo ao número 2, que não teria continuado no comando do Estado sem o apoio do padrinho poderoso.

    Silval chegou aonde chegou graças a Blairo. Fez o que fez por culpa de Blairo. O atual ministro da Agricultura não chegará aonde sonhava chegar graças ao filhote que concebeu e pariu. Ambos são culpados. Um é criminoso confesso. O outro segue jurando inocência.

    De duas, uma: se não sabia direito quem era o parceiro que escolheu, Blairo Maggi é  irresponsavelmente leviano. Se sabia, é cúmplice, comparsa ou coisa pior. Não há uma terceira opção.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Policiais se revoltam ao prender “Pateta” andando de BMW

    Jovem é presa ao tentar entrar em presídio com 34 trouxas de maconha nas...

    Presas com drogas, jovens posam sorrindo para foto em delegacia

    Mistério em festival de rock em Cuiabá: o que 30 mil pessoas vão ouvir...

    Idoso é preso e uma das acusações é o roubo de sua própria motocicleta

    X