Servidor do Detran que arrematou seis veículos por R$ 6 mil é condenado

O homem não podia participar do leilão, então chamou um amigo para participar e depois reduziu em 94% o valor do arremate

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, condenou o servidor público Carlos César da Silva Ferreira, de 31 anos, à perda da função pública e a dois anos de prisão em regime aberto.

Carlos foi denunciado pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE), acusado de inserir dados falsos no sistema de emissão de documentos, compartilhado entre o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

O homem, conforme o MPE, estava lotado na Comissão de Leilão do Detran quando cometeu o crime, em março de 2014.

Segundo a denúncia, ele teria combinado com Bruno Fernandes Marconcini Salmazzo, seu colega de moradia, de fraudar um leilão da autarquia. É que, como servidor do órgão, Carlos não poderia participar do leilão, e tinha interesse em adquirir alguns veículos.

O esquema aconteceu da seguinte forma: a dupla arrematou seis lotes com cinco veículos (VW Bora, VW Golf, Fiat Stilo, Honda Falcon e Honda Biz 125) e uma sucata (VW Golf). Considerando os valores do leilão e as taxas da leiloeira, os seis veículos custariam R$ 48,7 mil.

No entanto, Carlos usou uma senha de servidor e alterou o valor dos Documentos de Arrecadação (DARs), reduzindo-o para R$ 2.538,48. Contudo, devido às taxas da leiloeira, o valor final repassado foi de R$ 6,8 mil.

Esse novo valor foi pago por Bruno, que depois apareceu com um guincho e retirou os veículos do pátio do Detran. Nesse dia, Carlos era fiscal de pátio e liberou a retirada dos carros.

Quando ele foi interrogado, confessou o crime e disse que tudo começou “numa conversa como se fosse uma brincadeira”. O supervisor de Carlos chegou a perceber o esquema, mas apenas depois que os carros já tinham sido levados e, inclusive, desmanchados.

Pela participação nos crimes, Bruno foi condenado a três anos de prisão e ao pagamento de 15 dias/multa. O cumprimento da pena também foi fixado em regime aberto.

A dupla ainda deverá ressarcir o Detran em R$ 3,3 mil, pela retirada da sucata sem guia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApós renúncia de Morales, Bolívia tem vazio de poder
Próximo artigo“Mulher cadeieira”

O LIVRE ADS