Sanidade financeira: o que é linguagem do amor e como ela afeta seu bolso

Este é o segundo artigo da série que pretende te ajudar a tirar o pé da lama. Acompanhe, dê opiniões e mande perguntas

(Pixabay)

O que o amor tem a ver com o meu bolso? É isso que vamos abordar no segundo artigo da série sobre equilíbrio financeiro do LIVRE.

Na semana passada, refletimos sobre a conflituosa relação com o desperdício e as emoções envolvidas no ato de comprar. Agora, o tema será como investimos dinheiro nas nossas relações pessoais.

LEIA TAMBÉM

Falando assim, parece até que se trata de amizades e amores vis, porém, a coach financeira Camila Rossi, que está conduzindo este trabalho – e junto a reorganização da minha vida financeira -, mostra que não.

Coach financeira Camila Rossi diz que é preciso entender a linguagem do amor (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Ela explica que isso é uma forma de aproveitar melhor o seu dinheiro e também ter relações mais saudáveis.

Dentro do trabalho de organização das finanças, ela pede para pensarmos sobre a nossa linguagem do amor, ou seja, a forma com que expressamos nosso carinho, cuidado e sentimento por alguém.

Para algumas pessoas, isso representa presentes. E, neste caminho, muitas vezes, gastamos mais que podemos, na tentativa de agradar ou recompensar alguém por algum desentendimento ou omissão.

Sem perceber, a situação acaba afetando o nosso orçamento e nos levando a inquietudes maiores, como uma alta dívida de cartão de crédito e a falta de recursos para quitá-lo.

Por este motivo, Rossi explica que as pessoas devem sentar e fazer uma lista de pessoas e datas comemorativas em que esse investimento será feito.

Aí, vale tudo. Aniversário, dia dos namorados, datas especiais, nascimentos previstos e sem esquecer os grandes eventos, como Natal, por exemplo.

Para quem tem uma lista de Natal extensa ou gosta de dar um presente caro, o ideal é pensar em como fazer uma “mini economia” mensal para juntar dinheiro suficiente.

E quando não é o material que vale?

Rossi explica que deve constar na sua lista, inclusive, ações que envolvam o bem mais precioso, o tempo.

“Algumas pessoas não querem grandes presentes, mas sim uma companhia qualificada e atenção. Neste caso, isso deve ser levado em consideração ou você corre o risco de gastar muito e ainda desapontar o outro”.

Ela explica que esta falta de entendimento do que o outro precisa acaba trazendo reflexos na vida pessoal, porque o companheiro ou amigo nunca estará satisfeito com os inúmeros presentes. Ao mesmo tempo, você também se sentirá frustrado em não agradar, gastando cada vez mais.

Tempo qualificado é o bem mais precioso, não custa nada e, ainda assim, o perdemos (Foto: Divulgação/Pixabay)

Aplicando na prática

Um grande quadro com os meses do ano e a hora de colocar o nome dos parentes mais próximos e pessoas mais importantes. Lógico que estou falando daqueles que sempre presenteio.

Essa parte foi fácil.

A parte difícil é entender qual a linguagem do amor que o outro entende. Então, mais uma vez entro nas reflexões pessoais sobre o assunto.

Descobri que, com muitas pessoas, estou agindo do jeito errado, principalmente meu irmão, Anderson Ponce, e minha melhor amiga, Leniane Guerrise (coloquei o nome para pedir desculpas publicamente, o que pode ajudar na retratação).

Sempre presenteio os dois, mas não com que eles querem. Eles sempre pedem que eu esteja presente e eu sou péssima. Não cumpro com os compromisso e nem proponho nada. Uma lástima.

É por isso que Leniane vive “fula da vida” comigo. Sempre que eu vejo uma coisa que parece com ela, eu compro. Mas já cheguei a deixar na casa dela sem ela estar lá.

Presentes devem ser planejados para não impactarem no orçamento de forma negativa (Foto: Istock/Pinterest)

Depois, vejo o ódio na cara dela, porque não dei o que ela esperava: uma tarde dedicada a bater papo e tomar uma cerveja.

E com relação a minha própria pessoa é a mesma coisa. Observei que ganho um monte de presentes que deixo de lado e meus aniversários e demais datas sempre são frustrantes.

Tenho necessidade de um mix de tempo e presente na minha linguagem do amor. Sendo assim, gosto de ganhar coisas nas quais vejo a preocupação da pessoa em me perceber ou identificar algo que preciso.

Também sinto-me amada quando este presente tem relação com alguma conversa que tivemos em alguma situação. Gosto ainda de passeios para lugares estranhos e comidas diferentes.

Uma vez, ganhei um queijo de uma pessoa. Eu e um amigo tínhamos feito uma reportagem porque a mulher dele estava no corredor do pronto-socorro.

Depois da publicação, ele ficou muito contente porque a esposa dele foi tratada e resolveu nos presentear com o melhor que ele tinha no sítio dele, o maravilhoso queijo minas.

Juro que fiquei emocionada.

Outra vez, ganhei uma joia, mas nunca usei. Uma pessoa que me conhece minimamente sabe que não gosto de nada extravagante.

Divisão dos valores

Então, na hora de montar minha lista, criei uma tabela em que coloquei no topo o valor máximo que pretendo gastar nas comemorações. A única que ganhou um recurso extra foi minha mãe.

Deixei nos dias chaves a minha agenda de compromissos bloqueada para poder ter tempo para estar com a pessoa, nem se for tomando refrigerante e comendo um monte de comida natureba (dualidade que amo).

Na próxima segunda, vou apresentar a ferramenta de organização que estou preenchendo e como ela funciona.

Acompanhe minha caminhada também no meu blog, Seguindo Fora da Linha.

E pode mandar perguntas. Responderei o que souber e vou atrás das informações do que desconheço.

***Caroline Rodrigues é jornalista, repórter do site o Livre durante a semana e editora aos finais de semana. Também tem o Blog Seguindo Fora da Linha e segue a vida sem nenhuma certeza, com muita sorte e pouco juízo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtenção investidores: coronavírus será tema de reunião do Copom
Próximo artigoPrefeitura cancela evento