Prefeitura já aplicou R$ 344 mil em multas a empresas que furaram a quarentena

Desse total, cerca de R$ 81 mil foram aplicados só no período da quarentena obrigatória, determinada pela Justiça

Os comércios menores não exitaram em aproveitar até o último minuto de vendas (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A Secretaria de Ordem Pública de Cuiabá já aplicou mais de R$ 344 mil em multas a estabelecimentos e trabalhadores que descumpriram as regras de prevenção à covid-19. 

A maior quantia (R$ 251 mil) foi aplicada para empresas que continuaram abertas, mesmo  nos dias em que houve restrição ao funcionamento. Outros R$ 81 mil são referentes a multas aplicadas só durante a quarentena obrigatória, ou seja, a partir de 25 de junho. 

Conforme a Secretaria de Ordem Pública, salões de beleza e barbearias foram os segmentos mais autuados no período. Junto com cursos e demais estabelecimentos voltados à educação, bares, comércio de rua/ambulantes, distribuidoras de bebidas, restaurantes, eles concentraram 96% das denúncias feitas pela população. 

Também aparecem na lista lojas de eletrodomésticos, de roupas, lanchonetes, utilidades, condomínios, auto peças e óticas.  

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

De acordo com a Secretaria, no caso dos bares e lanchonetes, o maior volume de empresários resistentes em acatar as ordens foi registrado nos bairros mais afastados do centro da cidade.

Vendedores ambulantes, principalmente os que trabalham com trailer de lanches, barracas de frutas, verduras e assados, principalmente aos finais de semana, aparecem logo em seguida.  

Nesta semana, a Prefeitura de Cuiabá começou a aplicar a multa de R$ 609 também a pessoas circulam sem autorização prevista no decreto da quarentena, além dos estabelecimentos que estão fora da lisa dos serviços essenciais. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. A Multa é uma Taxa da modalidade Tributos, a desobediência pode levar a perda total do negócio porta aberta, vale também para Igrejas Veículos de imprensa que pela narrativa não aparece.
    Investir em álcool gel em funcionários com MÁSCARAS luvas r em.um primeiro em momento como Remédio verificável em balcões de FARMÁCIAS até homeopatia e de manipulação penso que o empregador deverá estimular ser parceiria na aquisição dos Testes como medidas protetivas de interesses geral
    Assim também no entanto + difícil é não adentrar repartições pública de comércio e de privado sem o Uso dos equipamentos nesta nova ordem econômica social, aqui As Live os microfones sim
    Tem comerciante que até fica sem A MÁSCARA + ao vê chegar um.cliente põe o equipamento para atender assim também comerciante está na rua conversando sem usar Máscara, observar na 14 Bis e no 930 da Rua Santo Antônio, daqui há pouco um cidadão consciente vai deixar de contratar serviços, aqui argumentar Ser portador de síndromes , perambular por ruas vai bater também em candidato às eleições 2020 em Televisão, no santinho, fico imaginando Luzia Erundina- é muito pra Cabeças essa gente estranha de Ser humano. Vamos vê até onde se Aguenta.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSúplicas ao reitor
Próximo artigoEmpresas “à beira do caos”