Povoado de Michigan compra “cheirador” de maconha para detectar plantações ilegais

E já tem até uma escola para ensinar a polícia como usar o equipamento

Um pequeno povoado de Michigan (EUA), chamado Bessemer, liberou o uso recreativo da maconha e isso gerou novas oportunidades de emprego para a população. Mas também causou um problema: plantações muito maiores do que o permitido pela lei e que tem espalhado o cheiro forte da erva pela cidade.

E a solução encontrada foi tão inusitada quanto o problema em si. Foi desenvolvido um artefato que ajuda a medir a intensidade do cheiro da erva nos arredores e, assim, localizar os infratores.

O Nasal Ranger, como batizado, custa em torno de US$ 3,4 mil e agora existe a “Odor School Program” (sim uma escola), que ensina a polícia local como utilizá-lo.

Nesse vídeo de 2012, o criador do Nasal Ranger disse que a cannabis com flor facilmente é classificada com um nível 7 na “escala de cheiros”.

Charles McGinley, o inventor do dispositivo, diz que o nível 7 é o equivalente a cheirar a axila de alguém sem desodorante – ou talvez os pés. Já os moradores classificaram a fedentina como um “spray de gambá”.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPlástico em segundo lugar: bitucas de cigarro são a maior parte do lixo das praias brasileiras
Próximo artigoMais reunião e estudos: governo federal deve intervir nas negociações sobre o VLT