Pai escuta gritos de socorro e consegue salvar filha de estupro

O pai flagrou o homem de 54 anos molestando a filha dele de apenas oito anos

Imagem ilustrativa

Um pai de 30 anos conseguiu salvar a própria filha, de oito anos, de um estupro. Ele a ouviu gritar por socorro e flagrou um homem de 54 anos a molestando.

O caso aconteceu no último sábado (9), no Bairro Belvedere, em Sinop (500 km de Cuiabá), por volta das 16 horas.

A criança estava na rua, andando de bicicleta com a irmã, quando o suspeito passou por três vezes em uma motocicleta Biz preta.

Na terceira, ele parou em um terreno ao lado da casa menina, onde está sendo construída uma residência e a chamou para atrás de um contêiner.

Já afastado, ele perguntou se ela havia visto o vizinho e ela disse que não. O homem, então, começou a passar a mão nas partes íntimas da criança.

A menina começou a gritar desesperadamente por socorro. O pai dela ouviu de dentro da casa, pulou o muro e foi até o suspeito.

O homem tentou fugir, mas foi detido e agredido por vizinhos. A Polícia Militar foi acionada e encontrou o acusado contido no chão e com marcas de agressões.

A mãe da menina molestada estava em visível estado de choque e só conseguiu responder a idade da filha e onde ela estava, na casa de uma vizinha.

O homem foi colocado no compartimento traseiro da viatura e, depois, os policiais foram até a casa da vizinha ouvir a vítima, que contou como tudo ocorreu.

O suspeito precisou ser encaminhado ao Hospital Regional para receber atendimento médico, devido às lesões que ficaram pelas agressões sofridas, e depois foi levado para a delegacia, acusado de estupro de vulnerável.

O LIVRE produziu um manual para você saber como agir, caso tenha sido vítima ou testemunha de um crime sexual:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJulier pré-candidato a prefeito
Próximo artigoO sucesso da primeira impressão

O LIVRE ADS