Na linha de frente: profissionais da saúde contam como superar o medo da covid

As incertezas sobre o tratamento e uma cura para a doença ainda são motivo de preocupação para quem trabalha salvando vidas

Imagem ilustrativa (Foto: Freepik)

Um vírus devastador e sem controle. A ameaça contra a própria vida perturbou milhares de pessoas nos últimos meses. Mas e quando a sua profissão lhe obriga a encarar o problema?

Foi o que aconteceu com a enfermeira Izo Prado, 44 anos, que há 19 anos trabalha no Hospital São Mateus, em Cuiabá. Há 16 anos sua função é o atendimento aos pacientes internados na UTI.

“Houve muita incerteza diante de uma doença sem medicação, tratamento e vacina. Apenas precauções e cuidados dos sintomas. Como é uma doença devastadora, não sabíamos o que pensar. E se eu fosse contagiada?”, ela relembra.

Após sete meses de pandemia, Izo diz ser uma sobrevivente de uma batalha. O fato de estar viva, mesmo tendo tido contato com pacientes com covid-19, – e após perder colegas de profissão que trabalhavam em outros hospitais – ela enfatiza: “há momentos na vida que valem muito, como um abraço ou estar com os entes queridos. Isso nos foi tirado pelo vírus, que apesar de invisível, pode nos derrotar se não nos unirmos”.

Trabalho em equipe

Para o médico Alessandro Henrique Previ de Campos, que é diretor-técnico do Hospital São Mateus, a grande lição que a pandemia trouxe foi a de que o trabalho em equipe é a resposta correta para o desafio diante do desconhecido. “Cada profissional é indispensável, independentemente da função”.

Ele relata que no começo da pandemia as incertezas de lidar com uma doença totalmente nova foi a parte mais difícil. “Estávamos diante de uma doença da qual não sabíamos o que era certo ou errado. Tivemos dificuldades e aprendemos e aprimoramos o melhor manejo do paciente”.

(Foto: Assessoria)

Com essa perspectiva, Alessandro destaca que o fator primordial que garantiu o “excelente desempenho” do hospital foi a determinação e o engajamento que cada colaborador teve tanto para vencer os próprios medos, quanto para salvar a vida dos pacientes.

Força e coragem

Diante das histórias de superação do medo e da união que os colaboradores tiveram para enfrentar a covid, o Hospital São Mateus homenageou nesta quarta-feira (30), todos os 700 colaboradores que atuam na unidade.

“Que esta homenagem alcance cada colaborador que continua lutando e trazendo esperança. Enquanto há esperança, há vida”, ressaltou Marilda Venzel, diretora-geral do hospital.

O Hospital São Mateus foi o primeiro do país a conquistar a a Certificação Covid-Free, concedida pelo Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES). “Esse certificado demonstra que temos condições para atender os pacientes com total segurança”.

Para garantir que os pacientes com covid e os que não estão com a doença possam ser bem atendidos, o hospital criou um fluxo exclusivo para a realização de procedimentos eletivos e designou um andar para receber os demais pacientes.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLula pede paralisação do julgamento do triplex até que Moro seja julgado por “suspeição”
Próximo artigoEmanuel Pinheiro: conheça os candidatos a prefeito de Cuiabá