Ministra do STJ nega liberdade a Paulo Taques

Ex-secretário da Casa Civil foi preso em 09 de maio, apontado como um dos líderes do esquema

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça, negou um pedido de liberdade feito pela defesa do ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo César Zamar Taques. O ex-secretário foi preso no dia 09 de maio durante a deflagração da 2ª fase da Operação Bereré, chamada de Bônus.

Paulo Taques foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) como sendo um dos líderes em um esquema que teria desviado cerca de R$ 30 milhões de um contrato entre a empresa EIG Mercados Ltda e o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT). O teor da decisão da ministra ainda não foi publicado.

Os habeas corpus dos denunciados presos na Bereré estão sendo encaminhados à 6ª Turma do STJ. A ministra também negou os pedidos de liberdade do deputado estadual Mauro Savi (DEM) e do ex-diretor da EIG, José Kobori. O deputado ainda havia pedido a suspensão das investigações, o que também foi negado no STJ.

Todos eles já haviam tentado a liberdade no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, tendo seus recursos negados pelo desembargador José Zuquim Nogueira, relator do caso.

Além deles, também foram presos o advogado e irmão de Paulo Taques, Pedro Jorge Zamar Taques, e os empresários Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos.

Paulo Taques e Pedro Jorge Taques teriam atuado para manter o esquema, iniciado em 2009, na gestão do governador Pedro Taques (PSDB), primo de ambos.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLimpeza da BR-163 retira 556 toneladas de lixo por ano
Próximo artigoDisputa interna gera suspeita sobre prestação de contas de militares