Disputa interna gera suspeita sobre prestação de contas de militares

    Opositores dizem que a prestação de contas de 2017 não foi submetida ao Conselho Fiscal

    (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

    Uma disputa interna na Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Mato Grosso tem trazido à tona suspeitas em relação à prestação de contas da entidade. De acordo com membros da oposição, que saiu derrotada na disputa eleitoral de 2016, a chapa de situação não prestou contas durante a gestão.

    O cabo Gerson Nonato, candidato da última eleição, procurou a reportagem do LIVRE para denunciar a suposta má-gestão dos recursos da associação. Ele apontou para o fato de que na gestão anterior, de 2012 a 2016, a prestação de contas foi feita somente em um dos anos de mandato, e não anualmente, como prevê o estatuto. Ainda segundo Nonato, a atividade financeira de 2017 não foi submetida ao Conselho Fiscal antes de ser apresentada aos associados, como define o regimento.

    Cabo Adão Martins Silva assina termo de posse da associação (Foto: ACSPMBM/MT )

    “Para apresentar esta prestação de contas fizeram uma assembleia às 8 da manhã de um feriado de Corpus Christi, e foi a primeira vez que prestaram contas em pelo menos cinco anos dessa gestão, que esteve à frente também da gestão passada. Se fez alguma prestação de contas nesse período, eles fizeram de qualquer jeito, sem apresentar em assembleia e sem submeter ao Conselho Fiscal”, criticou o militar.

    Resquícios da disputa eleitoral

    Nonato saiu derrotado da disputa de 2016 para o atual presidente da associação, o cabo Adão Martins Silva. Na época, a chapa de oposição tentou incluir 700 cabos e soldados com menos de 11 meses de filiação. Isso, segundo alegou a chapa de situação, seria contrário ao regimento. Ainda assim, o caso foi parar na Justiça e mesmo com o resultado validado, os opositores aguardam nova decisão judicial.

    “Se ele quis fazer valer o estatuto para os filiados, deveria fazer valer também para a prestação de contas”, disparou Nonato, em entrevista por telefone. Os números da entidade já estão nas mãos do presidente do Conselho Fiscal, cabo Marlon Jackson Gonçalves, que também conversou com o LIVRE.

    “Houve uma divergência em relação à prestação de contas de 2017, mas nós já estamos resolvendo o problema”, esclareceu ele.

    O Conselho Fiscal, composto por mais dois membros, vai analisar a documentação financeira da entidade e entregar um parecer sobre as contas.

    A reportagem entrou em contato com o cabo Adão Martins, que informou não poder se manifestar naquele momento. Este espaço segue aberto para quaisquer declarações.

     

    Use este espaço apenas para a comunicação de erros





    Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

    4 COMENTÁRIOS

    1. “Disputa interna gera suspeita sobre prestação de contas de militares”? desconheço qualquer disputa, ao contrários veio, uma reportagem cheia de acusações inverídicas, publicação sem checar a fonte, pois o próprio adversário fala que disputo as eleições e foi vencidos.
      Constituição Federal art. 5º inciso X
      X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;
      Portanto não conseguir vencer as eleições, agora com difamação e injurias tenta a qualquer custo.
      Materia publicada sem verificar a fonte.

    2. Já começou a politica suja, por que é o que vejo nesta reportagem, tiro pela foto, quem será que está por trás disso?
      Espero que as pessoas sejam inteligente para entender o que está acontecendo.

    3. O mais engraçado é que o “candidato derrotado” esteve nessa assembléia de prestação de contas e cá entre nós, esse “candidato derrotado” é excelente em contabilidade e tem coragem de se expor desse jeito. Agora é só esperar o resultado do conselho fiscal.

    4. Realmente é uma vergonha pagar associação mensal, e quando vai utilizar o campo em uma partida de futebol com amigos ter que pagar 120 reais por isso.
      Não receber um recibo e nada, pra onde foi esse dinheiro? Pagar associação e a unica vez que tenta usufruir do benefício ter que pagar 120 reais por uma hora de futebol. Lamentável

    DEIXE SEU COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Artigo anteriorMinistra do STJ nega liberdade a Paulo Taques
    Próximo artigoAberta vaga de juiz substituto no TRE-MT