Mauro Mendes já articula apoio do MDB e do PP à sua candidatura

Pré-candidato do DEM avança sobre partidos que hoje estão com Wellington Fagundes

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O pré-candidato a governador pelo DEM, Mauro Mendes, já articula o apoio de siglas que hoje apoiam a pré-candidatura do senador Wellington Fagundes (PR) ao governo, como o MDB e o PP. Os dois partidos contam com considerável tempo no horário eleitoral gratuito no rádio e na TV. O presidente do DEM em Mato Grosso, deputado federal Fábio Garcia, disse que apresentou às duas siglas o projeto do partido para o Estado e agora aguarda a decisão delas.

[featured_paragraph]“O MDB pode fazer parte da aliança, se entenderem que nosso projeto é um bom projeto para Mato Grosso”, afirmou Garcia em entrevista coletiva na feira Agro MT, no Parque de Exposições de Cuiabá, nesta segunda-feira (9).[/featured_paragraph]

Ele sinalizou que as conversas avançaram mais com o MDB do que com o PP. O MDB é presidido por Carlos Bezerra, enquanto o PP é dirigido por Ezequiel Fonseca, ambos deputados federais. Além disso, o PP abriga o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, padrinho político de Mendes.

“Conversamos também com o PP e apresentamos nosso projeto. Não temos dificuldade de estar com o PP. Não depende somente de nós, mas da disposição deles de estarem conosco. O PP está aberto ao diálogo, sim, mas já manifestou que tem um compromisso com Wellington. E nós respeitamos a posição de cada partido”, disse.

Outra sigla que estava próxima de Wellington e que está migrando para a aliança de Mendes é o PSD do ex-vice-governador Carlos Fávaro. A aliança de Mendes já conta também com o PDT e o PRB, e as negociações estão avançadas com o PROS, o PHS e o PV.

Chapa majoritária

Na chapa de Wellington Fagundes, o MDB reivindica a vaga de vice, mas também não descarta a possibilidade de disputa ao Senado. Segundo Garcia, ainda não foi discutido o espaço que os novos partidos teriam na chapa de Mendes.

[featured_paragraph]“Não conversamos sobre isso, não teve essa exigência [de vice]. Se houver, vamos levar para o grupo analisar”, disse. “Foi uma conversa preliminar, apresentando o que pensamos para Mato Grosso. Não teve nenhuma definição, então a gente vai continuar dialogando com todos”, afirmou.[/featured_paragraph]

Atualmente, a vaga de pré-candidato a vice de Mendes é de Otaviano Pivetta (PDT), que foi prefeito de Lucas do Rio Verde. Porém, ainda não foi batido o martelo sobre a questão.

Além disso, o DEM tem a missão de equacionar a pretensão do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e do deputado federal Adilton Sachetti (PRB) de ocupar a segunda vaga de candidato a senador da chapa. A primeira vaga já está assegurada para o ex-senador Jayme Campos (DEM).

“Temos três pré-candidatos para duas vagas. Um deles terá que recuar”, resumiu. “[Vamos fechar essa equação] com diálogo, diálogo, diálogo. E pensar que temos um projeto maior de oferecer a Mato Grosso uma nova alternativa. Tenho convicção que chegaremos ao entendimento”, afirmou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMPF cobra medidas para garantir vacinação em mais de 300 municípios
Próximo artigoProjeto de inovação da Fatec Senai MT conquista prêmio nacional