|domingo, 23 setembro 2018
Foto: divulgação Âmbar Energia

Juíza determina que empresa dos irmãos Batista forneça gás a MT

PGE e MT Gás entraram com pedido para garantir abastecimento a empresas e motoristas

104
COMPARTILHECOMPARTILHE

A juíza Sinii Savana Bosse Saboia Ribeiro, da 10ª Vara Cível de Cuiabá, determinou que a empresa GasOcidente, dona do gasoduto que liga a Bolívia a Mato Grosso, mantenha o fornecimento de gás natural ao Estado. A decisão é de terça-feira (10).

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) e a MT Gás entraram com o pedido visando garantir o abastecimento de gás a empresas e motoristas mato-grossenses que utilizam o produto. A GasOcidente, controlada pelo Grupo J&F Investimentos, que tem como sócios os irmãos Wesley e Joesley Batista, se negava a transportar o gás por ser inviável economicamente.

O pedido da PGE e da MT Gás era para que o abastecimento fosse garantido por, ao menos, 12 meses. A juíza atendeu parcialmente ao pedido.

“Diante do exposto, com amparo no art. 300, do Novo Código de Processo Civil, defiro parcialmente a medida pleiteada, para determinar que a ré, no prazo de 24 horas, caso interrompido, restabeleça e/ou mantenha a prestação do serviço de transporte de gás natural para a autora, pelo prazo de 03 (três) meses, salvo novas disposições sobre o caso pela ANP, sob pena de multa no valor de R$ 100.000,00, por dia de descumprimento injustificado. Fixo o patamar da penalidade em R$ 1.000.000,00”, escreveu a magistrada.

Apesar de a MT-Gás já ter informado que não tem interesse, a magistrada marcou uma audiência de custódia para o dia 18 de junho.

O pedido inicial foi assinado pelo procurador Mateus Araújo Molina e pelo advogado Luciano André Frizão, representante da MT-Gás.

A MT-Gás compra o produto da empresa boliviana Yaciminetos Petrolíferos Fiscales Bolibianos (YPFB), que tem contrato válido até 31 de dezembro deste ano. O transporte do gás é feito exclusivamente pelo gasoduto administrado pela GasOcidente. A MT-Gás distribui o produto à GNC Brasil Ltda, de quem a empresa de economia mista detém 10% do capital. A GNC é quem faz a distribuição às indústrias e postos de combustíveis.

O contrato entre a MT Gás e a GasOcidente expirou no final de 2017 e desde então as duas vêm dialogando para manter o fornecimento do produto. Além da MT-Gás, a GasOcidente tem como cliente a ETE de Cuiabá, atualmente controlada pela Âmbar Energia Ltda, sucessora da Empresa Produtora de Energia Ltda (EPE).

A empresa afirma que para que o transporte de gás seja economicamente viável, é necessário que a UTE de Cuiabá esteja em pleno funcionamento. A usina está atualmente parada.

Tanto a GasOcidente quanto a Âmbar são controladas pelo grupo J&F Investimentos S/A. Depois da delação premiada dos irmãos Batista no âmbito da Operação Lava Jato, a Petrobrás, que à época administrava a Termoelétrica, rescindiu o contrato, gerando dificuldades à Âmbar.

Na delação, Joesley diz que combinou uma propina semanal ao presidente Michel Temer (MDB) e ao deputado Rodrigo Rocha Loures (MDB) para viabilizar o negócio da ETE de Cuiabá.

A PGE alega que a empresa é concessionária de um serviço público estadual, com contrato de concessão. De acordo com o procurador Mateus Araújo Molina, sem o gás consumidores como indústrias, taxistas e demais motoristas que utilizam gás natural “ficariam a ver navios, do dia para a noite, sem aviso prévio, o que é indevido”.

A MT-Gás, sociedade de economia mista estadual, também se tornaria inviável na prática, pois o único fornecedor disponível é a GasOcidente.

“Ocorre que, desde o final de 2017, o GasOcidente tem criado obstáculos ao transporte de gás à MT-Gás, suficientes a impedir e/ou prejudicar gravemente a continuidade das atividades institucionais da referida sociedade de economia mista”, diz trecho do pedido feito à Justiça.

A empresa estaria exigindo a “contratação e documentação de maneira ferrenha e inédita aos mais de 10 anos de relacionamento”. No dia 03 de abril, a empresa se recusou a firmar qualquer contrato de transporte de gás.

A PGE alega que, caso a atividade limitada da usina alterasse a viabilidade do transporte do gás, seria obrigação da empresa pedir à ANP que aumentasse a tarifa paga pela MT-Gás.

Sem usina, sem fornecimento de gás
Anteriormente, Âmbar Energia afirmou que vem atuando em parceria com o Governo do Mato Grosso desde que assumiu o controle do Gasoduto Bolívia-Mato Grosso e a Usina Térmica de Cuiabá. A empresa afirma que tem mantido o governo informado sobre todos os acontecimentos sobre o transporte de gás e geração de energia dos equipamentos.

A GasOcidente informou que dados públicos da empresa mostram que, em dezembro, a MT Gás retirou 86,5 mil metros cúbicos do gasoduto, com uma média diária de 2,79 mil metros cúbicos. O contrato da MT Gás para o transporte do combustível pelo gasoduto encerrou-se em 31 de dezembro, tendo sido dado à empresa prazo de 90 dias para retirar o restante do gás que dispunha da tubulação, prazo que completou-se em 31 de março. No começo de abril o prazo para a MT Gás foi prorrogado e a retirada foi concluída no dia 5 de abril. “É importante ressaltar que o único consumidor hoje existente no MT cuja demanda viabiliza manter a operação do gasoduto é a Térmica de Cuiabá, com consumo diário é de 2,2 milhões de metros cúbicos. Sem uma demanda desse porte, o gasoduto deixa de ser viável economicamente”, disse a assessoria de empresa.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Final da Série C: falta de luz, defesas incríveis e público recorde marcam vitória do Operário
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Duplicação de rodovia que inclui trincheira e viadutos no Distrito Industrial custou R$ 1 bilhão
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Gravação mostra pouso de emergência de avião de Nilson Leitão; veja vídeo
TCE realiza levantamento para ajudar prefeituras a aumentar arrecadação com IPTU
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Pecuaristas aderem a projeto sustentável e reforçam a importância da união da cadeia produtiva
Fiscais do Indea se preparam para atuar no vazio sanitário do algodoeiro
Safra recorde: produção de café em Mato Grosso é a maior da história
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
“Dobradinha” Diego & Arnaldo e Israel Novaes lotam Musiva. Veja Fotos
Doceira investe em sobremesas tradicionais como pudim, pavê e bolinho de chuva
Produção cuiabana vence “melhor dos melhores” em premiação na Índia
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Ciro Gomes relaciona porte de fuzil com tamanho de pênis dos jovens
Bolsonaro recebe alta de UTI semi-intensiva em hospital de São Paulo
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Sine oferece quase 50 vagas de emprego nesta semana; 22 são para PCDs
Última semana para inscrição em concursos com salários de até R$ 7 mil; veja vagas
McDonald’s oferece 20 oportunidades de trabalho em Cuiabá
X